Thelminha entrevista Lula no "Triangulando" sobre desigualdade social, educação e saúde

·3 minuto de leitura
Thelma Assis entrevistando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Reprodução / Youtube Thelminha Assis)
Thelma Assis entrevistando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Foto: Reprodução / Youtube Thelminha Assis)

Thelminha Assis, a campeã do ‘BBB20’ e apresentadora, recebeu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Linn da Quebrada, Celso Athayde e Gil Nogueira no “Triangulando”, seu programa no Youtube, para falar sobre desigualdade social.

Médica, ela lembrou sobre a época que entrou na universidade através de um programa de incentivo federal. “Em 2005 recebi uma carta que fui contemplada com uma bolsa de 100% para cursar medicina na PUC e a mensalidade custava R$ 3,5 mil e não tinha condição nem de passar na porta da universidade. Entendo que isso é uma obrigação do estado, não um favor, mas não consigo não deixar de ser grata”, contou a apresentadora.

Leia também:

E ela continuou e não só agradeceu. “Se hoje estou olhando no seu olho aqui, é porque recebi uma oportunidade lá atras. E todas as pessoas que estão em estatísticas de déficit de educação. Como o senhor se ente sabendo que mais de 3 milhões de universitários já se beneficiaram com o Prouni. E o que fazer com essas pessoas que ainda estão sendo oprimidas pela sociedade?”, questionou.

O ex-presidente, que é pré-candidato ao Planalto em 2022, não titubeou. “Fico emocionado e gratificado de ver pessoas como você e Gil chegar onde chegaram. O papel do estado é de abrir uma porta e dar as pessoas a oportunidade de disputar qualquer coisa nesse país. Fui o primeiro filho de uma mãe com 8 filhos a ter um diploma primário, fazer um curso técnico, por conta disso a ter um carro, comprar uma geladeira, um fogão”, lembrou.

Ele ainda contou uma história sobre quando era governante. “A formação profissional pela educação era uma obsessão. Toda vez que me sentava na mesa com os ministros, para discutir educação, nunca tinha dinheiro e fiquei cansado. Disse que iríamos criar dinheiro e colocamos 2 milhões de pessoas na escola”, falou sore os programas de ingresso a universidades.

Gil do Vigor, que participou do programa direto dos Estados Unidos onde está cursando seu PhD em economia, foi elogiado pelo ex-presidente. “Espero que você se forme e não perca a ideia da filosofia: muito dinheiro na mão de poucos é concentração de riqueza, pouco dinheiro na mão de muitos e distribuição de riqueza. O pobre quando pega R$ 20, ele não vai comprar bolsa ou dólar, vai comprar comida para casa s e a economia começa a girar”, relacionou.

Ele ainda lembrou sobre o impeachment da presidenta Dilma Rousseff, que completou cinco anos nesta semana. “‘Vamos derrubar a Dilma que vai melhorar’. Derrubaram a Dilma e tudo piorou. O Brasil não está lascado, como o Gil diz. Esse governo está lascando o país”, avaliou.

O político também comentou sobre um grave problema do Brasil hoje: a fome. “A desigualdade não é só no salário, na casa, na cultura. É em tudo neste país. Quando deixei a prisão fui conversar com o papa Francisco porque queria fazer uma campanha mundial contra a desigualdade. Não tem sentido o mundo produzir mais alimento que produzirmos e termos quase 900 milhões de pessoas dormindo com fome. O Brasil é o terceiro maior produtor de grãos do mundo e o maior de proteína animal. Não tem justificativa as pessoas não terem o que comer”, diz.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos