'The Mandalorian' resgata Star Wars com um universo expandido fiel a George Lucas

Thiago Romariz
·3 minuto de leitura
The Mandalorian resgata a esperança em Star Wars (Foto: Divulgação)
The Mandalorian resgata a esperança em Star Wars (Foto: Divulgação)

Falei algumas vezes sobre 'The Mandalorian’ por aqui, inclusive participei do último Pod Assistir em que discutimos sobre a possibilidade ou não da série ser a melhor do ano. Depois do último episódio, é complicado dizer que a saga de Baby Yoda e Din Djarin não seja a mais tocante do entretenimento neste nefasto 2020.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

A luz no fim do túnel que se acende com Mandaloriano tem uma dose cavalar de nostalgia, mas também de renovação e excelência técnica. No fundo, porém, o que realmente faz essa luz brilhar é a palavra que conecta cada uma das histórias da franquia criada por George Lucas: esperança.

Leia também

A começar pela esperança de que o futuro da franquia não seguirá a desordem da última trilogia, mesmo que essa tenha momentos inesquecíveis quanto a série. E é possível se agarrar nisso, pois não há nada em Mandalorian algo que diga o contrário — tudo que a série promete, ela entrega. Da simplicidade de seus personagens até a grandeza da mitologia apresentada, tudo está dentro do escopo montado por Dave Filoni e Jon Favreau, os maestros deste novo universo expandido tão inspirado nos antigos livros de Star Wars quanto nas novas produções como 'Rebels' e 'Clone Wars’.

As últimas cenas da segunda temporada da série também se contam com este conceito de esperança, pois surgem ali símbolos que representam tudo que Star Wars um dia foi antes de se perder na obsessão da Disney em replicar a máquina de produtos na franquia, e lançar 'Solo', 'Ascensão Skywalker’ ou os Battlefront da vida. Teremos, sim, dezenas de derivados, bonecos e produtos, mas o caminho aqui parece mais claro e pavimentado pelo que realmente importa: histórias e personagens. Favreau usa a relação de amizade entre pai e filho, uma família recém-construída, para replicar os conceitos que Lucas usou com os Skywalker. E na força de Grogu e Mando, a série se estabelece sozinha, usando a nostalgia de seus elementos para potencializar a trama apresentada.

Conheça o podcast de filmes e séries do Yahoo

'The Mandalorian’ usa todos os fanservices possíveis para aumentar o impacto da história central, sem se deixar levar por uma ou outra aparição icônica. E o símbolo disso tudo talvez seja o misto de sentimentos na cena do ressurgimento de Luke, que aquece o coração dos mais saudosos e ao mesmo tempo corta a alma daqueles que se afeiçoaram à dupla que leva a história e nada têm a ver com os filmes ou a fama de Star Wars. O Resgate, título do episódio final, tem a clara intenção de falar sobre a missão para recuperar Grogu das mãos do Império. A verdade, porém, é que ele é o Resgate da esperança em Star Wars, uma franquia adorada, mas combalida, e que na essência determinada por seu criador, parece ter achado o caminho novamente.

———

*Thiago Romariz é jornalista, professor, criador de conteúdo e atualmente head de conteúdo e PR do EBANX. Omelete, The Enemy, CCXP, RP1 Comunicação, Capitare, RedeTV, ESPN Brasil e Correio Braziliense são algumas das empresas no currículo. Em 2019, foi eleito pelo LinkedIn como um dos profissionais de destaque no Brasil no prêmio Top Voice.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube