"The Flash" corre o risco de ser cancelado após nova polêmica de Ezra Miller

Ezra Miller no evento Time 100 Next no Pier 17 em novembro de 2019 em Nova York. (Foto: Jamie McCarthy/WireImage)
Ezra Miller no evento Time 100 Next no Pier 17 em novembro de 2019 em Nova York. (Foto: Jamie McCarthy/WireImage)

O destino de “The Flash” se tornou incerto após Ezra Miller continuar se envolvendo em polêmicas. De acordo com o site “The Hollywood Reporter”, a Warner Bros. Discovery está analisando o destino do projeto após o nome da estrela voltar aos noticiários sendo acusado de furto.

O cancelamento do projeto é mencionado pelo portal como “um último recurso”, mas as manchetes sobre o comportamento controverso e as várias prisões de Ezra colocam o filme em jogo. A Warner Bros. e sua nova controladora, a Warner Bros. Discovery, estão analisando se o filme de herói da DC ainda deve chegar aos cinemas no dia 23 de junho de 2023.

Na última segunda-feira (8), Miller voltou aos jornais sob acusação de roubo. A revista “Rolling Stone” informou também que o departamento de serviços infantis de Vermont está tentando localizar uma mãe e três filhos que supostamente residiam na fazenda de Ezra no estado.

Neste momento, a empresa está se preparando para três cenários. O primeiro deles é que caso Miller busque ajuda profissional, o lançamento de “The Flash” seguirá normalmente. Caso Miller escolha não receber ajuda, acabaria fora de todo material publicitário do projeto e deixaria o papel de Barry Allen nos cinemas logo em seguida. A terceira opção será engavetar todo o projeto, já que não há a possibilidade de regravar o filme com um ator diferente.

A decisão chegaria logo após a empresa cancelar o lançamento de "Batgirl", filme da HBO Max focado na heroína Barbara Gordon, vivida por Leslie Grace. A plataforma de streaming alegou que o longa não corresponde às expectativas do público da DC e por isso foi engavetado, mesmo já estando finalizado.