Thammy Miranda deixou Câmara Municipal por pandemia: "Pedi pra ser exonerado"

Thammy Miranda. Foto: reprodução/Instagram/thammymiranda

Com a pandemia do novo coronavírus, Thammy Miranda pediu exoneração do cargo de assessor especial na Câmara Municipal de São Paulo. Ele anunciou a saída durante um bate-papo com seus seguidores no Instagram. Na rede social, o ator também criticou a gestão da crise durante o governo de Jair Bolsonaro.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentários

“Não sou político, não tenho cargo público. Comecei trabalhando na Câmara, mas, quando começou a pandemia, sabia que não ia estar lá efetivo fazendo algo, pedi pra ser exonerado”, explicou nos Stories.

Leia também:

Nos vídeos, Thammy rebateu algumas críticas que recebeu por ter defendido que os políticos brasileiros fizessem uso do Sistema Único de Saúde (SUS), entre outros serviços públicos. O post ganhou apoio de famosos como a atriz Giovanna Antonelli e da apresentadora Rafa Brites.

Ao ser questionado por uma seguidora por ter filho nos Estados Unidos, o ator reforçou que não ganha dinheiro público. Ele também declarou: “Política pra mim não é profissão, não deveria ser profissão pra ninguém. política pra mim é missão”.

Respondendo a perguntas dos fãs, Thammy comentou ainda que tem passado altos e baixos durante o período de isolamento social, que enfrenta ao lado da mulher, Andressa, e do filho, Bento, de 4 meses. Também falou sobre a saída do ministro da Saúde Nelson Teich: “No lugar dele, eu faria o mesmo. Aliás, nem teria tido coragem de aceitar esse cargo, sendo que é, entre aspas, fake. Você fica sabendo das informações ao vivo, o presidente toma decisões sem consultá-lo”.

Além disso, sobraram críticas para o governo federal na gestão da crise. “Eu tô achando todo mundo perdido, total despreparo. Tô vendo nossos governantes fazendo testes em vez de se espelhar em algo que já deu certo”, alfinetou. “A verdade é que a gente não tem um líder, tem um cara que quer mandar sozinho e que o gado dele obedeça”, acrescentou.