Thales Bretas faz homenagem emocionada em missa de Paulo Gustavo: "Te amarei para sempre"

Resumo da notícia

  • Familiares e amigos se reuniram no Cristo Redentor nesta terça (11) para a missa de sétimo dia de Paulo Gustavo

  • O ator faleceu após dois meses internado com um caso grave de Covid-19

  • A missa, transmitida ao vivo pela Multishow, contou com uma homenagem emocionada de Thales Bretas, marido de Paulo Gustavo

Amigos e familiares de Paulo Gustavo se reuniram na noite desta terça-feira (11) no Santuário do Cristo Redentor para a missa de 7º dia do artista. Paulo Gustavo morreu na semana passada após passar cerca de dois meses internado com um caso grave de Covid-19.

A cerimônia foi restrita a familiares e amigos próximos para evitar aglomerações, e foi transmitida ao vivo pelo Multishow. Na primeira fila, Thales Bretas, marido de Paulo, Déa Lúcia e Júlio Barros, mãe e pai do humorista, e Ju Amaral, irmã, se despediram do humorista em meio a momentos emocionados e discursos sobre a trajetória do artista.

Leia também

Entre os convidados estavam o empresário Anderson Baumgartner, as atrizes Regina Casé e Heloísa Perissé e os apresentadores Luciano Huck e Angélica.

Chorando muito, Thales Bretas agradeceu pelo tempo que conseguiu passar ao lado do marido, e afirmou que sempre amará Paulo Gustavo. "Tínhamos tantos planos para tantos anos que acho que é para além desta encarnação. Prometo cuidar para sempre de nossos filhos e transmitir tudo o que aprendi com você. Te amei demais, te amo e te amarei para sempre. Espero ter a honra de cruzar de novo com essa luz na eternidade".

Dona Déa Lúcia também agradeceu por ter conhecido o filho, e cantou a música 'Fascinação' como homenagem. "Meu filho passou no teste do Enem da vida. Eu não sou forte como todo mundo diz. A minha força está em Deus. É a fé que me ajuda", disse a matriarca.

MEMÓRIA

Paulo Gustavo morreu aos 42 anos, após quase dois meses internado em um hospital da zona sul do Rio, devido a complicações da Covid. Antes da confirmação de morte, a equipe médica já tinha classificado seu quadro como irreversível.

“Após a constatação da embolia gasosa disseminada ocorrida no último domingo, em decorrência de fístula brônquio-venosa, o estado de saúde do paciente vem deteriorando de forma importante”, afirmava o último boletim médico.

O ator foi internado no dia 13 de março e respondeu bem ao tratamento. Porém, no dia 2 de abril, seu estado piorou e ele passou a respirar com a ajuda de ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea), uma espécie de pulmão artificial.

Nos dia seguinte, a equipe médica identificou uma fístula broncopleural, espécie de comunicação anormal entre os brônquios e a pleura, que foi corrigida. Paulo Gustavo também teve que receber uma transfusão de sangue, segundo seu marido.

Dias depois foi realizada uma toracoscopia, na qual uma nova fístula broncopleural foi identificada e corrigida. “Todos os profissionais têm se empenhado incessantemente pela sua recuperação”, afirmou boletim médico divulgado no último dia 11.