“Como vocês têm tratado as pessoas gordas?", questiona Thaís Carla

·2 minuto de leitura
Thaís Carla provoca reflexão sobre combate à gordofobia (foto: reprodução / instagram @thaiscarla)
Thaís Carla provoca reflexão sobre combate à gordofobia (foto: reprodução / instagram @thaiscarla)

O dia 10 de setembro é marcado pela luta de pessoas maiores contra a gordofobia, preconceito infelizmente cada vez mais latente na sociedade. Para dar luz à discussão, a dançarina Thaís Carla compartilhou uma reflexão em suas redes sociais.

“Quero dizer pra vocês o porquê essa data é importante, já que ela marca a nossa luta por humanização dos nossos corpos e por mais acessos", começou o texto que fala não só sobre as injúrias às pessoas maiores, mas também a limitação física como acentos em transportes, por exemplo.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Leia também:

“Minha pergunta para vocês é: como vocês têm tratado as pessoas gordas? A gente já cansou de dizer que nem toda pessoa gorda é doente, assim como nem toda pessoa magra é saudável”, escreveu ao lembrar as pessoas não andam ou ficam expondo seus laudos e exames médicos a cada publicação ou ação na vida cotidiana.

Carla ainda fala sobre a limitações psíquicas que abalam a pessoa gorda: “Existem várias questões que influenciam mais a qualidade de vida de pessoas gordas do que o peso em si. Uma delas é o preconceito, que reduz, e muito, a qualidade e a expectativa de vida da pessoa gorda.”

A ativista também lembrou sobre as limitações físicas vividas por pessoas gordas no dia a dia. “Tem cadeiras que aguentam? A pessoa passa a porta? Os sofás são acessíveis? Vocês sabiam que mais de 60% dos empregadores não contratam pessoas gordas e pensam que elas são preguiçosas ou incapazes?", pontuou.

Thaís termina o manifesto propondo uma reflexão: “Por último e não menos importante: a gente precisa parar de patrulhar o corpo das pessoas e tratá-las com mais afeto e carinho. Pessoas gordas merecem ser humanizadas e amadas.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos