Thaila Ayala relembra aborto: "Pior inferno da vida"

Thaila Ayala em evento no Rio de Janeiro; atriz relembrou aborto espontâneo sofrido antes de engravidar de Francisco, do relacionamento com Renato Góes (Foto: Roberto Filho/BrazilNews)
Thaila Ayala em evento no Rio de Janeiro; atriz relembrou aborto espontâneo sofrido antes de engravidar de Francisco, do relacionamento com Renato Góes (Foto: Roberto Filho/BrazilNews)

Mãe de Francisco, fruto do casamento com o ator Renato Góes, Thaila Ayala relembrou aquele que considera um dos piores momentos de sua vida: quando sofreu um aborto espontâneo. Nas redes sociais, a atriz compartilhou um áudio, que enviou à amiga Julia Faria, com um forte relato sobre o que havia acontecido.

"Oi, maridinha. Passando para avisar que estou aqui na perinatal. Não, não é para parir um filho. Não foi desta vez. Não tinha parado para falar antes porque, você me conhece, quando o bicho pega mesmo, eu vou para dentro da concha. Prefiro passar pelas coisas sozinha. E perdi o neném, passei pelo pior inferno na vida. A gente achou que ia sair normal, aí não saiu", lamenta no áudio.

"Eu desmaiei de dor duas vezes, eu vomitei de dor sei lá quantas milhões de vezes. Ninguém te fala a dor do que é expelir... Bom, eu achava que estava expelindo um minifeto. Parecia que ele estava bem no canal, arregaçando tudo. Era muita dor, morte súbita. Depois me falaram que a dor do aborto é a dor de um parto. Que absurdo, né? Você ter a dor de um parto, só que perdendo um neném. Quanto sofrimento, meu Deus", continua Thaila, descrevendo a experiência pela qual passou.

Por fim, ela revela que precisará passar por uma cirurgia para tirar o bebê: "O meu neném estava nas trompas. Então, em vez de ele descer, ele subiu para o abdome. Tive esses desmaios, esses vômitos, tanto pelo aborto quanto por esse processo", explica. "Ele está lá, boiando em litros de sangue, sangue sujo que está nos meus órgãos. Estou aqui no hospital. [Vou] tomar uma anestesia geral, entrar no centro cirúrgico para tirar o bebê morto. No caso, o meu filho."