Tesla é investigada após 23 acidentes envolvendo piloto automático

Redação Finanças
·2 minuto de leitura
Edinburgh, Scotland - A view over the shoulder of the driver of a Tesla Model 3 on a wet journey in Midlothan.
Edinburgh, Scotland - A view over the shoulder of the driver of a Tesla Model 3 on a wet journey in Midlothan.
  • O piloto automático é um sistema que usa radar e câmeras para detectar outros veículos e objetos na estrada

  • Em um acidente neste mês, um Tesla Model Y bateu na traseira de um carro da polícia

  • Em nota, a empresa se limitou a dizer que seus carros são muito seguros

A Administração Nacional de Segurança de Tráfego Rodoviário dos Estados Unidos (NHTSA, na sigla em inglês) está investigando 23 acidentes envolvendo o sistema de piloto automático dos carros da Tesla, de Elon Musk. A apuração busca entender se os acidentes foram causados por uma falha na ferramenta.

O piloto automático é um sistema computadorizado que usa radar e câmeras para detectar marcações de faixa, outros veículos e objetos na estrada. Ele pode dirigir, frear e acelerar automaticamente com pouca intervenção do motorista. 

Leia também:

A Tesla afirma que ele deveria ser usado apenas em rodovias divididas, mas vídeos nas redes sociais mostram motoristas usando o piloto automático em vários tipos de estradas. Em nota, a empresa se limitou a dizer que seus carros são muito seguros.

Acidentes com Teslas são apurados

Em 2016, na Flórida, o piloto automático da Tesla não conseguiu reconhecer um carro branco contra o céu claro e não freou, causando um acidente fatal. O motorista conseguiu usar a ferramenta fora das estradas recomendadas e dirigiu a 119 quilômetros por hora.

Outro caso, em fevereiro deste ano, aconteceu em Detroit, nos EUA. Um Tesla passou por baixo de um reboque de trator que cruzava a estrada, arrancando o teto do carro. O motorista e um passageiro ficaram gravemente feridos. As autoridades não disseram se o motorista ligou o piloto automático.

Em um acidente neste mês, um Tesla Model Y bateu na traseira de um carro da polícia que havia parado em uma rodovia perto de no estado do Michigan, nos Estados Unidos. Segundo a polícia, o motorista, que ficou ferido, estava usando o piloto automático.

“Precisamos ver os resultados das investigações primeiro, mas esses incidentes são os exemplos mais recentes que mostram que esses recursos avançados de controle que a Tesla tem não são muito bons em detectar e, em seguida, parar diante de um veículo que já está parado na rodovia”, disse Jason Levine ao NYT, diretor executivo do Center for Auto Safety, um grupo que luta pelos direitos do consumidor.