Coronavírus: Nelson Teich reduz divulgação de dados negativos

Teich privilegiou dados positivos ou neutros para amenizar o impacto da Covid-19 no país, como o total de recuperados e comparações com outros países em pior situação. (AP Photo/Eraldo Peres)

Por Paulo Pacheco

Empossado há duas semanas, o novo ministro da Saúde, Nelson Teich, tem evitado divulgar dados negativos em relação à pandemia do novo coronavírus, que no Brasil contabiliza mais de 91 mil casos confirmados e 6.329 mortes até a última sexta-feira (1º).

Sem o colete do SUS (Sistema Único de Saúde) que praticamente virou uniforme de seu antecessor, Luiz Henrique Mandetta, Teich privilegiou dados positivos ou neutros para amenizar o impacto da Covid-19 no país, como o total de recuperados e comparações com outros países em pior situação.

Leia também:

Em contrapartida, retirou dados que traziam alerta para o avanço da doença, como a classificação da incidência de casos em estados e capitais em parâmetros de emergência, atenção e alerta. No lugar, o ministério tem divulgado dois mapas que apontam áreas mais atingidas.

Nas primeiras falas, o ministro buscou reforçar sinais de alinhamento ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Chegou a dizer que o país "não sobrevive um ano parado" e negou haver um "crescimento explosivo de casos", mesmo o Brasil estando entre os dez países mais atingidos pela doença.

Mandetta, antecessor de Teich, deixou o ministério após divergências com Bolsonaro sobre métodos preventivos contra o coronavírus, principalmente o distanciamento social, e uso de medicamentos sem comprovação científica, como a cloroquina.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.