Tatá Werneck revela que foi alvo de machismo no início da carreira: 'As pessoas questionavam tudo, até a minha sexualidade'

A humorista contou que evitava ser muito feminina para não sofrer com o machismo (Reprodução/ Instagram/ @tatawerneck)

Capa da revista “Glamour” desta mês, Tata Werneck falou sobre o preconceito que sofreu no início da carreira simplesmente por ser mulher. A humorista revelou que sempre foi muito questionada e rotulada, que chegou a evitar ser muito feminina para provar seu talento e sobre a importância de se combater o machismo.

As pessoas questionavam tudo, até a minha sexualidade. Se eu fosse lésbica também não seria um problema, mas por que essa necessidade de catalogar as pessoas? Por que precisamos ser colocadas em nichos? Por que se você é bonita não pode ser inteligente? Se é engraçada não pode ser vaidosa? No começo, quando ia participar de campeonatos de improviso e de rima, eu quase me anulava para provar meu talento. Colocava uma calça largona, um moletom e só faltava falar: ‘Ó, galera, esqueça que eu sou mulher!’. Hoje jamais faria isso”, revelou Tata Werneck em entrevista à publicação.

Leia mais:
Thammy Miranda enfrenta calvície: ‘É por causa do hormônio masculino’
Aos 55 anos, Fátima Bernardes chama atenção ao posar de maiô

Noiva de Rafael Vitti, 12 anos mais novo, Tata Werneck também falou sobre o preconceito que as mulheres sofrem quando namoram homens mais jovens. “Nunca me interessei por homens mais novos. Ficava pensando por que dar uma chance se sabia que estávamos em momentos diferentes. Mas já estava acontecendo… Essa geração dele é livre de todas as formas e não tem uma série de preconceitos que a gente fala que não tem e continua tendo. (…) Nunca um homem que é visto com uma mulher mais nova é questionado. É quase um troféu. Agora, quando um cara está com uma mulher mais velha, as pessoas ficam se perguntando o porquê. E tem mil motivos, né? Nunca é o amor. As pessoas já querem colocar um prazo de validade”, desabafou a atriz.