Tatá Werneck diz que Rafa Vitti não deveria ser exaltado: "Só está sendo pai"

Bárbara Saryne
·1 minuto de leitura
A apresentadora falou sobre o parceiro em uma live (Foto: Reprodução/Instagram/@tatawerneck)
A apresentadora falou sobre o parceiro em uma live (Foto: Reprodução/Instagram/@tatawerneck)

Tatá Werneck acha que o marido, Rafa Vitti, não faz mais que a sua obrigação ao cuidar da filha. O ator tem sido muito elogiado nas redes sociais e a artista se alegra, mas acha a repercussão desproporcional. Ela foi questionada sobre o assunto em uma live com Gisele Bündchen nesta segunda-feira (30).

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

“Para o Rafa sempre foi muito natural cuidar dela [Clara Maria], ele deu primeiro banho, porque eu estava com medo ainda, com aquela sensação da cesariana. Sempre foi corajoso para essas coisas. E ele está sempre entre os assuntos mais comentados, como se não houvesse homens como ele. Ele só está sendo pai", diz a artista.

Leia também

Segundo Tatá, as mulheres também deveriam ser reconhecidas pelo esforço diário. O fato de Rafa Vitti ficar entre os assuntos mais comentados ao mostrar seus cuidados com a herdeira só escancara o machismo.

“Por que as mulheres não estão o tempo todo ali? É tão difícil achar um homem com essa visão e ao mesmo tempo as mulheres não são exaltadas da mesma forma. Se você não é uma mulher que está feliz e se dedicando 100%, vão te criticar", observa.

Gisele concordou com a apresentadora e afirmou que hoje as mulheres esperam naturalmente essa parceria na hora de criar o filho, algo que não beneficia apenas o sexo feminino, mas as crianças principalmente.

"É tanta responsabilidade que você se perde. Eu não conheço uma mulher que não tenha essa fase de mãe que esquece que tem um outro ser dentro de você. Que você não é só mãe, é ser humano com necessidades", disse a modelo.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube