Tatá Werneck entra em processo seletivo para adotar cachorro com deficiência

João Pedro Malar*
Facebook / @saoleopoldo

O cachorro Tintim ficou popular após ter sido abandonado duas vezes na última sexta-feira, 2. O animal, que possui uma deficiência nas duas patas dianteiras, está atualmente sob a tutela da prefeitura de São Leopoldo, no Rio Grande do Sul.

Tintim foi rejeitado duas vezes no mesmo dia devido a uma briga de casal. Um homem chegou a deixá-lo na Secretaria de Proteção Animal (Sempa) da cidade alegando ter encontrado o cachorro sozinho na rua. O órgão, então, decidiu investigar como o abandono ocorreu.

De acordo com uma publicação da prefeitura no Facebook, primeiramente, uma mulher deixou Tintim no local de trabalho do marido. O homem então levou o cão para a secretaria e omitiu que era o dono do animal.

A história de Tintim repercutiu na internet, inclusive com uma publicação no Instagram da ONG Ampara Animal, que ajuda animais abandonados. Na foto, a atriz Tatá Werneck demonstrou interesse em adotar Tintim.

Questionada pelo E+, a assessoria da atriz confirmou que Tatá entrou para a fila de adoção, que atualmente conta com mais de dez pessoas, que serão entrevistadas pelo responsável da Sempa até esta sexta-feira, 10.

A apresentadora disse que entrou em contato com o responsável pelo canil em que Tintim está provisoriamente. "Achei ele uma pessoa muito sensata, cuidadosa e responsável. Ele disse que havia mais de 10 pessoas interessadas no Timtim e que ele veria o que seria melhor para o Tintim. Porque como ele tem deficiência, ele precisa de um piso bom, de atenção, e o contato com outros cachorros talvez não seja tão fácil. E eu tenho nove. Mas eu continuo na fila. De qualquer maneira, estou feliz em saber que o melhor para o Tintim vai acontecer. Se for conosco, vamos amar, mas se não for, já estamos muito felizes porque ele vai ter a vida feliz que merece."

A prefeitura também aproveitou a repercussão do caso e lançou a campanha 'Somos 6 mil Timtins', que tem como objetivo incentivar a adoção de animais abandonados na cidade. Apenas no canil municipal de São Leopoldo, são 300 cachorros esperando adoção.

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais