Tapa na cara do conservadorismo, Sex Education abraça o novelão sem vergonha de falar de sexo na escola

·2 minuto de leitura
terceira temporada de sex education. Foto: Divulgação/ Netflix
terceira temporada de sex education. Foto: Divulgação/ Netflix

A terceira temporada de Sex Education tem a difícil tarefa de continuar a impressionar a audiência depois de dois anos cheios de comédia, irreverência e temas sexuais pouco comuns a séries adolescentes. Nestes novos oito episódios, o programa da Netflix repete toda a fórmula dos anteriores, mas mergulha de verdade no novelão entre Maeve e Otis, deixando todos os relacionamentos abordados mais sérios e condizentes com o amadurecimento dos personagens.

A grande questão da temporada é cada um dos núcleos encontrar sua identidade mesmo sem um grande objetivo à vista. Otis se entender como um jovem adulto, Adam com a própria identidade, Eric com a família, Maeve com si mesma, Emily com seus traumas - e todos os adultos também seguem nesta busca. É difícil equilibrar tantas histórias em uma só trama, mas Sex Education consegue por entender que o que leva o roteiro pra frente são as transformações dos personagens e como elas ocorrem dentro de um contexto estabelecido sempre dentro da escola.

Assista também

Nunca saem do foco a educação sexual, o amadurecimento dos adolescentes e o relacionamento entre pais e filhos. O entendimento do que é ser homossexual, hetero, não-binário, por exemplo, é tratado com o estranhamento e leveza necessários para que a discussão chegue a várias partes do dilema; o mesmo serve para os abusos e a não-aceitação de determinada faceta individual. E a dosagem do humor em toda temporada é quase sempre perfeita, deixando os temas espinhosos mais leves e sem perder o vigor das questões abordadas.

Poucas séries da Netflix conseguem ser tão relevantes, diferentes e divertidas quanto Sex Education. O entrosamento do elenco é digno de grandes momentos do streaming, que conseguiu algo parecido com Stranger Things. A diferença aqui é o texto quase constrangedor do clássico humor britânico, que ganha uma camada contemporânea e muito bem-vinda numa terceira temporada ciente da importância que seu nome carrega, e nunca deixa de fazer excelentes piadas com isso.

*Thiago Romariz é jornalista, professor, criador de conteúdo e atualmente head de conteúdo e PR do EBANX. Omelete, The Enemy, CCXP, RP1 Comunicação, Capitare, RedeTV, ESPN Brasil e Correio Braziliense são algumas das empresas no currículo. Em 2019, foi eleito pelo LinkedIn como um dos profissionais de destaque no Brasil no prêmio Top Voice.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos