Filme de ‘Confissões de Adolescente’ surpreende

P Guedes

'Confissões de Adolescente' é uma das séries da minha vida. Em uma época difícil de mudanças por todos os lados, eu encontrava conforto assistindo aos episódios. Ela estreou em 1994, no dia do meu aniversário, na TV Cultura (e depois também foi exibida pela Band e pelo Multishow). Na época completei 13 anos e encontrei ali grandes amigas; elas me entendiam, me apoiavam e até compartilhavam dos mesmo medos e pensamentos estúpidos que eventualmente me faziam perder o sono.

Eu me vestia como Carol, a caçula meio 'menino' de Déborah Secco. Mas ao mesmo tempo era tão romântica e boba quanto Natália (Daniele Valente). Achava o cabelo e a impulsividade de Bárbara (Georgiana Góes) incríveis e, quem diria, fiz a mesma faculdade que Diana (Maria Mariana): jornalismo.

Lembro de músicas marcantes como 'Sina', cantada por Gilberto Gil na clássica abertura, 'Wild World' e 'Nos Lençóis desse Reggae'. São as que mais me fazem lembrar da série. E, nesses momentos, sinto o cheiro do perfume que eu usava naquele ano e o mesmo frio na barriga só de pensar em beijar alguém na boca sem nunca ter feito isso antes.

Assisti a peça baseada no livro de Maria Mariana no teatro e interpretei o mesmo texto na minha escola. E por isso tudo torci o nariz quando ouvi falar do filme. Ele também seria dirigido por Daniel Filho, responsável pelo seriado, e teria roteiro de Matheus Souza (do filme 'Apenas O Fim'): duas boas referências.

Mas o trailer não me empolgou. Fiquei com medo de que cairia no lugar comum adolescente de 'Malhação', com muita afetação e didatismo para tratar do que seria importante dizer para essa geração de pessoas 'virando pessoas' mas que, por cair no clichê e no ridículo, nunca é levado à sério.

Pois 'Confissões de Adolescente', o filme, foi uma bela surpresa. Na verdade, é exatamente o que 'Malhação' devia ser e não consegue - e nem digo isso porque a maior parte do elenco já fez ou atualmente faz parte da novela teen da Globo. Sim, eu sei, uma é novela (a mais longa da emissora) e o outro é um longa-metragem e não deviam ser comparados. Mas esses dois produtos audiovisuais são voltados para o público adolescente e foi impossível não pensar nesse tipo de relação.

Achei o filme bem feito, divertido, objetivo e sem pudores desnecessários. Pôde-se falar de dinheiro, profissão, sexo, relacionamentos e futuro assim como há 20 anos atrás. Me vi reconhecendo as situações e até alguns diálogos apesar das diferenças, não apenas nos nomes, mas nas características das personagens. Foi bacana essa transformação. Deixou claro que os dois produtos foram baseados no livro, mas que o filme não é uma extensão da série.

As quatro atrizes principais que marcaram minha vida fizeram pequenas participações na história atual, o que foi uma boa homenagem mas poderia ter sido feita de uma forma mais bacana, com referências diretas ao que cada uma foi e não com papéis aleatórios e caricatos - como no caso de Deborah Secco e Daniele Valente.

Fora Sophia Abrahão (Cristina), que deixou a desejar na interpretação e ainda por cima resolveu cantar, Bella Camero (Bianca), Malu Rodrigues (Alice) e Klara Tiezzi (Karina), seguram bem as pontas e levaram muito carisma às suas personagens.

Para quem não sabe, 'Confissões de Adolescente' acompanha a vida de quatro irmãs de idades diferentes que moram apenas com o pai, um advogado que se vira em mil para cuidar das meninas. No seriado, era Luiz Gustavo; no filme, Cassio Gabus Mendes.

Outra característica bacana do filme foi o uso da tecnologia e redes sociais, afinal, impossível mostrar um universo adolescente hoje em dia sem o Facebook e vídeos online, certo? Por exemplo, o texto que Bianca fala logo no início da história faz com que qualquer um - inclusive quem já deixou a adolescência a algum tempo - pense: "eu também já fiz isso!".

'Confissões de Adolescente' é um filme digno que não joga na lama o legado de uma série tão fantástica. Isso me deixa feliz e mais saudosista do que nunca, doida para rever todos os episódios de um passado que parece ter acontecido em outra vida.

O filme estreia em todo o país no dia 10 de janeiro e o seriado por ser visto aos domingos, na TV Cultura, às 11h30 da manhã.

E para matar as saudades, a abertura super colorida de 'Confissões de Adolescente', a série.


Leia também:
‘House of Cards’: Trailer mostra tensão na segunda temporada
Joshua Bowman mostra por que vale assistir ‘Revenge’