“Aberração”: Mara Maravilha critica Daniela Mercury e defende “cura gay”

Durante participação no programa "Morning Show", na Rede TV!, Mara Maravilha, 45, foi questionada sobre a aprovação da polêmica lei da "cura gay", projeto que permite a promoção de tratamentos que tenham como objetivo curar a homossexualidade. Ela, que é cantora evangélica, acabou defendendo Marcos Feliciano (PSC-SP) e se referiu ao homossexualismo como "aberração.

Leia mais:
Sem filhos, Mara Maravilha não quer deixar herança para o pai
Antônia Fontenelle se irrita com “cura gay” e diz: “às vezes sou bi”

"Eu gosto muito e respeito o pastor Marcos Feliciano. Está faltando democracia. Você tem que respeitar quem não pensa igual o gay", disse referindo-se ao deputado que preside a Comissão dos Direitos Humanos da Câmara.

"Muitos pais e muitas mães não concordam com essa aberração. Não acho bonito um homem e uma mulher, em público, ficarem se atracando. Tem coisa que é particular. Conheço muitos homossexuais que querem a cura, que querem se ver livres disso, afirmou Mara.

Sem citar nomes, ela também criticou a cantora Daniela Mercury, que assumiu recentemente seu namoro com outra mulher. "Estranho é uma cantora, porque ela é popular, dar beijo em outra mulher e tirar foto. Isso é estranho. Para um bom entendedor meia palavra basta", finalizou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos