As taças de vinho foram aumentando de tamanho lentamente - assim como o nosso consumo de álcool

As taças de vinho estão sete vezes maiores do que eram na era georgiana [Foto: Getty]

Se você achava que os nossos antepassados vitorianos gostavam de beber, então ficará surpreso quando descobrir que a nossa geração bebe muito mais do que eles.

De acordo com um estudo conduzido pela Universidade de Cambridge, o tamanho médio das taças de vinho está sete vezes maior do que era no século XIX.

Acontece que as taças de vinho aumentaram de tamanho em correlação com os hábitos de consumo da nação britânica, à medida que o volume de álcool consumido na Inglaterra aumentou entre 1960 e 1980, duplicando-se novamente entre 1980 e 2004.

No início do século XVIII, uma taça de tamanho médio poderia conter 66 ml de vinho, enquanto que, atualmente, tomamos cerca de 449 ml de uma só vez.

O tamanho médio de uma taça de vinho passou de 66 ml para 449 ml [Foto: PA]

O estudo publicado no periódico BMJ é o primeiro do tipo, e os pesquisadores procuraram especialistas em antiguidades em busca de orientação, examinaram os cristais do Palácio de Buckingham e analisaram as taças mais recentes dos catálogos de John Lewis.

A The Wine and Spirits Trade Association acredita que as tendências sociológicas possam estar por trás do aumento estrondoso das taças de vinho.

“O tamanho de uma taça de vinho reflete a tendência e a moda de sua época e geralmente é maior por razões práticas”, disse o executivo-chefe da WSTA, Miles Beale, ao The Guardian. “O vinho tinto, por exemplo, é servido numa taça maior para permitir que ele respire, algo que talvez não fosse uma prioridade há 300 anos”.

Mas não há como negar que isso está causando um impacto prejudicial à nossa saúde, pois o estudo ressalta que o alcoolismo é o quinto maior culpado de mortalidade prematura e deficiências em geral, nos países com alta renda per capita.

O teor alcoólico do vinho vendido no Reino Unido também aumentou consideravelmente desde a década de 1990.

Danielle Fowler