Tabloide britânico apela de decisão a favor de privacidade de carta de Meghan

·1 min de leitura
Meghan Markle no palco do Global Citizen Live 2021 no Central Park em Nova York

Por Michael Holden

LONDRES (Reuters) - Um tabloide britânico iniciou uma apelação nesta terça-feira contra um veredicto de um alto tribunal a favor de Meghan, a duquesa de Sussex, que abriu um processo de privacidade e direitos autorais em reação à publicação de uma carta que ela escreveu ao pai distante.

Meghan, de 40 anos, processou a Associated Newspapers, a editora do Mail on Sunday, por imprimir partes da carta que endereçou a Thomas Markle em agosto de 2018, três meses depois de seu casamento com o príncipe Harry, neto da rainha Elizabeth.

No início deste ano, o juiz Mark Warby decidiu a favor dela sem um julgamento e disse que o jornal deveria publicar um pedido de desculpas na primeira página e pagar as despesas legais da duquesa.

Nesta terça-feira, o tabloide iniciou uma apelação de três dias contra a decisão, dizendo que o juiz não deveria ter tratado a carta como uma "comunicação íntima" entre Meghan e o pai e que ele chegou a conclusões erradas em outras questões.

"A carta foi composta especificamente com a possibilidade de consumo público em mente, porque a demandante reconhecia que o senhor Markle poderia revelá-la à mídia", disse Andrew Caldecott, o advogado do Mail, a três dos juízes mais seniores do Tribunal de Apelações.

Meghan escreveu a carta de cinco páginas ao pai depois de um rompimento das relações durante os preparatívos de seu casamento, do qual ele se ausentou devido a problemas de saúde e depois de ter admitido que posou para fotos de paparazzi.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos