Suspeitos de furarem fila da vacina são exonerados em Manaus

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
As gêmeas Gabrielle e Isabelle Kirk Maddy Lins, suspeitas de furarem fila da vacina em Manaus

A Prefeitura de Manaus exonerou na última sexta-feira (12) sete dos dez médicos investigados pelo MP-AM (Ministério Público do Amazonas) por furarem a fila da vacinação contra o novo coronavírus.

Entre os funcionários exonerados, estão as gêmeas Isabelle e Gabrielle Kirk Maddy Lins, que receberam a primeira dose da vacina em 19 de janeiro, mesmo dia em que uma delas foi contratada. A outra foi efetivada no cargo no dia anterior.

Leia também

As irmãs são filhas de Andrea Kirk Maddy Lima, casada com Nilton da Costa Lins Júnior, presidente da mantenedora da Universidade Nilton Lins, uma das maiores de Manaus.

As duas fizeram postagens no Instagram mostrando o momento em que foram vacinadas. Em Manaus, a vacinação começou na terça-feira e foi destinada para profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à Covid-19.

Nas redes sociais, as imagens geraram revolta e questionamentos em relação à suspeita de que as duas poderiam ter furado a fila da vacinação.

A lista de investigados traz ainda os nomes de outros oito médicos, dentre eles, o filho do suplente de deputado estadual Wanderley Dallas (Solidariedade), David Louis Dallas.

O Ministério Público citou que a contratação foi “falsamente” para o cargo de gerente de projetos, o que levantou suspeita de falsidade ideológica.

Os promotores chegaram a pedir a prisão do prefeito e da secretária de saúde em razão das irregularidades, além da exoneração dos citados. O pedido está sob análise da Justiça.