As surpreendentes razões por trás da cor do seu passaporte

Todos os passaportes do mundo têm um determinado tom de vermelho, verde, preto ou azul.

É oficial: os passaportes britânicos passarão a ser azuis após o Brexit.

O novo design substituirá o tom vinho que decora o passaporte do Reino Unido desde os anos 80.

Ao passar pelo controle de imigração, você já parou para pensar nas razões por trás da cor do seu passaporte e dos documentos das pessoas ao seu redor?

Talvez não, afinal, a experiência tediosa e demorada dos aeroportos costuma ser suficiente para acabar com o seu senso de curiosidade. No entanto, a questão é mais interessante do que parece.

De acordo com Hrant Boghossian, vice-presidente do Arton Group, responsável pelo banco de dados interativo Passport Index, o tom de cada passaporte nacional é derivado de apenas quatro cores principais: vermelho, verde, azul e preto.

O passaporte de Singapura.

Apesar disso, “vemos muitas variações entre os tons de cada cor,” ele explicou. “Na verdade, há muitas cores de passaportes”.

Embora as regras que regem alguns detalhes sobre a aparência dos passaportes, incluindo seu tamanho e formato, sejam definidas pela Civil Aviation Organization (ICAO), governos ao redor do mundo podem escolher a cor e o design do documento nacional, e existem “diversos cenários possíveis” que explicam por que uma determinada cor foi escolhida, de acordo com Boghossian.

O passaporte da Arábia Saudita.

Os passaportes de países pertencentes à União Europeia costumam ter uma tonalidade vinho, enquanto aqueles do Caricom (Comunidade do Caribe) usam o azul, por razões geográficas ou políticas.

“Alguns podem argumentar que o vinho é decorrente de um histórico comunista,” disse Boghossian, “e que os passaportes azuis podem simbolizar o Novo Mundo para países na América do Norte, América do Sul e Oceania”.

“O passaporte da Turquia se tornou vinho por causa da esperança do país de fazer parte da União Europeia,” ele também afirmou.

Em outros casos, a cor escolhida pode ter um significado religioso, como em países muçulmanos como Marrocos, Paquistão e Arábia Saudita, que têm passaportes em diferentes tons de verde.

“A maioria dos países islâmicos usa passaportes verdes por causa da importância da cor na sua religião,” disse Boghossian.

Acredita-se que o verde foi a cor preferida do profeta Maomé, é um “símbolo da natureza e da vida”, e está presente nas bandeiras nacionais de países islâmicos, como o Afeganistão e o Irã.

Alguns países escolhem uma determinada cor para se diferenciar e para refletir sua identidade, como a Suíça, cujo passaporte tem um tom vermelho vivo. Singapura tem uma cor laranja/vermelha, enquanto o passaporte temporário do Canadá, para viajantes que precisem de documentos de viagem de emergência, tem uma capa branca.

O passaporte suíço.

O passaporte dos Estados Unidos passou por várias mudanças de cor, do vermelho ao verde e, agora, ao azul.

A escolha da cor do passaporte de um país, embora potencialmente influenciada pela cultura e história, também leva em conta a praticidade e disponibilidade.

“A produção de passaportes é um processo altamente controlado, e apenas algumas empresas ao redor do mundo são responsáveis por ela,” Boghossian disse.

O material usado nas capas dos passaportes “costuma ser fornecido por terceiros” e “só vem em certas variações de cor para atingir os padrões requeridos,” ele acrescentou.

O passaporte do mensageiro da Rainha.

Os passaportes mais legais do mundo

Os viajantes noruegueses impressionam aqueles que estão passando pelos trâmites de imigração nos aeroportos.

Enquanto os passaportes dos cidadãos da União Europeia têm uma cor vinho, os documentos do país escandinavo podem ter uma cor branca, azul-turquesa ou coral – e contêm uma característica surpreendente, que deve animar os responsáveis pelo controle de passaportes ao redor do mundo.

O novo passaporte da Noruega é oferecido em três cores. Crédito: Neue Design Studio

O trabalho é do Neue Design Studio, que venceu uma competição para redesenhar os documentos de viagem e as carteiras de identidade locais em 2014, e os passaportes foram inspirados no tema “Paisagens Norueguesas”.

As páginas mostram interpretações minimalistas de algumas das paisagens mais bonitas do país, e exibem, sob circunstâncias específicas, seu fenômeno natural mais incrível.

Como as páginas do documento normalmente aparecem.

Se os funcionários do aeroporto – ou qualquer outra pessoa – colocar as páginas do passaporte sob a luz ultravioleta, a aurora boreal irá aparecer instantaneamente no papel.

Sob a luz ultravioleta… Crédito: Neue Design Studio

O passaporte finlandês também exibe um pouco do design nórdico. Ele mostra um alce na parte inferior de cada página, e os viajantes entediados que virarem as mesmas, rapidamente verão o animal caminhando pelo documento.

Passaporte finlandês

Um efeito semelhante pode ser visto no passaporte esloveno.

Passaporte esloveno

O passaporte norueguês não é o único que se transforma em contato com outro tipo de luz. As páginas do passaporte canadense também ganham vida.

O passaporte canadense sob a luz negra

O passaporte britânico foi redesenhado no ano passado, incluindo imagens de John Constable, Shakespeare, Charles Babbage e Antony Gormley.

O design do passaporte britânico.

Também somos fãs dos esforços das Filipinas, exibindo esta águia impressionante.

Os passaportes podem ser belos.

Os passaportes mais poderosos do mundo

Os cidadãos alemães possuem o passaporte mais poderoso do mundo.

O ranking da Henley & Partners, empresa de planejamento e cidadania, leva em conta quantos países podem ser visitados, sem a necessidade de visto. Os detentores de passaportes alemães podem viajar para 176 países, de um total de 218.

Os 25 passaportes mais poderosos do mundo.

O Reino Unido dividiu a liderança do ranking de 2015 com a Alemanha, mas foi superado, depois que vários países relaxaram as restrições de visto para os alemães. O país também foi ultrapassado pela Suécia no ano passado, e agora está atrás de Dinamarca, Finlândia, Itália, Espanha e Estados Unidos. Áustria, Bélgica, França, Luxemburgo, Holanda, Noruega e Singapura dividem o oitavo lugar com o Reino Unido.

Síria, Paquistão, Iraque e Afeganistão estão do outro lado da tabela, cada um com acesso sem visto, a menos de 30 países.

Soo Kim

The Telegraph