Sua rotina na academia está prejudicando a sua pele?

Homens jovens são mais suscetíveis à pitiríase versicolor, uma infecção na pele causada por fungos – PHN

As estatísticas do NHS (Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido) mostram um aumento do número de diagnósticos de dermatite e eczema nos hospitais, principalmente entre os indivíduos que pertencem à geração Y. Um dos culpados? As roupas de ginástica. As peças justas, feitas com tecidos que não permitem a pele respirar, prendem o calor e o suor, criando um ambiente perfeito para a multiplicação de leveduras, fungos e bactérias. Como resultado, as infecções cutâneas estão se tornando cada vez mais comuns.

O maior foco são as roupas de ginástica femininas; é mais comum ver referências a tops e leggings do que a peças masculinas. As revistas de saúde e fitness, voltadas para o universo masculino, mantêm o foco nos músculos, e discussões relacionadas a efeitos colaterais prejudiciais costumam ser deixadas de lado. Todos conhecem a candidíase – infecção fúngica que afeta principalmente as mulheres, embora também possa atacar os homens – mas o que podemos falar sobre os problemas cutâneos que estão se tornando mais comuns em homens?

Depois de ter enfrentado problemas recentes na pele, eu queria entender melhor por que as infecções cutâneas são mais comuns em homens com cerca de 20 anos de idade. Com a exceção do pé de atleta – conhecido de um em cada seis britânicos – há muitas outras condições sobre as quais eu nunca havia ouvido falar, mostrando o quanto este assunto é ignorado na mídia.

A popularidade crescente da prática de exercícios, seja na academia, ciclismo, ioga, pilates ou corrida, é uma coisa muito boa, por diversas razões óbvias. No entanto, exercícios físicos podem criar condições perfeitas para o desenvolvimento de infecções.

A pitiríase versicolor causa uma descoloração permanente na pele. Crédito: Science Photo Library 

“Os homens estão cada dia mais obcecados com a academia, e isso se aplica especialmente à faixa entre 20 e 30 anos,” diz a Dra. Kirsty Lau, dermatologista do GPDQ, aplicativo de atendimento médico sob demanda. “O fato de se exercitarem regularmente faz com que os jovens fiquem mais suscetíveis ao suor. As roupas de ginástica masculinas também contribuem para o aumento do suor, já que costumam ser justas e feitas de materiais artificiais e não-respiráveis”.

Quando a temperatura aumenta e o corpo sua, o contato prolongado com o suor pode fazer com que leveduras se acumulem na pele. Muitos não tomam banho logo depois do treino, mas os minutos extras entre a academia e o chuveiro podem ser cruciais.

A Dra. Sweta Rai, da Associação Britânica de Dermatologistas, explica: “Sem dúvida, eu vejo mais homens com infecções relacionadas aos exercícios do que mulheres. Pode ser que eles suem mais do que elas, ou que isso aconteça devido a práticas comportamentais. Mas ainda não há fortes evidências que afirmem isso. Tenho visto, na minha prática clínica, que os problemas de pele associados às atividades físicas são mais comuns em homens”.

Uma doença que os especialistas estão vendo com mais frequência é a pitiríase versicolor, causada por uma levedura do gênero Malassezia. Ela é encontrada em 90% dos adultos, e geralmente vive no ser humano, sem causar qualquer problema. No entanto, ambientes quentes, excesso de suor e a pele oleosa, acaba tornando a pessoa mais suscetível à infecção – especialmente no caso de homens jovens. Cerca de um a cada cem britânicos a desenvolve, e, embora não seja perigosa, pode causar descoloração permanente.

Consultar um especialista, assim que o problema for descoberto, é essencial para prevenir alterações na pigmentação da pele. Crédito: Science Photo Library

“Esta é uma doença que vemos em pessoas que frequentam academias,” explica a Dra. Rai, “principalmente em homens jovens que fazem muitos exercícios de musculação, mas não necessariamente tomam banho após o treino. A levedura pode se acumular na pele, causando uma irritação rosada, com uma textura escamosa. Ela pode adquirir uma tonalidade marrom e deixar alterações permanentes na pigmentação da pele do peito, braços e costas. É possível tratá-la nos estágios iniciais, mas se a pele já estiver manchada, complica”.

A pitiríase versicolor não é a única doença cutânea às quais os frequentadores de academias devem estar atentos. O pé de atleta, que também é mais comum em homens, é facilmente contraído e pode se espalhar rapidamente – a micose na virilha, uma infecção fúngica, é causada pelo mesmo fungo encontrado em infecções nas unhas. O chão úmido e contaminado das academias é um perigo, bem como os chuveiros, piscinas e saunas compartilhados. Os esteroides anabólicos podem causar acne no rosto, no peito e nas costas, algo comum em fisiculturistas. Além disso, o excesso e o acúmulo de suor podem bloquear os folículos pilosos, levando à foliculite.

De acordo com a Dra. Rai, estas condições não são perigosas. “Mas as infecções podem se espalhar. Elas acabam levando às coceiras e certo desconforto, e alguns fungos e leveduras descolorem a pele. Qualquer infecção que chegue à corrente sanguínea pode ser perigosa, mas isso é raro. A pitiríase versicolor não é prejudicial, mas pode causar uma preocupação estética”.

O melhor remédio, como sempre, é a prevenção. “Use sempre uma mochila limpa e roupas de tecidos respiráveis,” Rai continua. “Tome banho logo após o fim do treino e proteja a sua pele, mantendo-a hidratada. Se você, algum dia, já teve uma infecção cutânea, lave suas roupas em temperaturas altas e deixe-as secar ao ar livre para matar possíveis esporos. Tente não compartilhar toalhas, e sempre higienize a esteira de ioga”.

Estas são soluções simples que muitos costumam negligenciar, em nosso estilo de vida moderno. Se você está preocupado com a possibilidade de que tenha contraído uma infecção, consulte um clínico geral ou dermatologista assim que possível.

Tomé Morrissy-Swan

The Telegraph