Steven Tyler é acusado de abuso sexual de menor e de acusá-la a forçar um aborto nos anos 70

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O vocalista da banda Aerosmith, Steven Tyler, 74, foi acusado de abusar sexualmente uma menor de idade nos anos 1970 e forçá-la a fazer um aborto, segundo a revista Rolling Stone.

No processo obtido pela revista, Julia Holcomb acusa o músico de abuso e agressão sexual, além de imposição intencional de sofrimento emocional. Ela alega que Tyler convenceu a mãe dela a conceder sua tutela a ele quando Holcomb tinha 16 anos -o que permitiu com que ela vivesse com ele e tivesse relações sexuais.

Julia diz que eles ficaram juntos entre 1973 e 1976. Apesar do processo não citar o nome de Steven Tyler diretamente, a mulher já havia falado sobre o relacionamento antes e o próprio processo traz citações de um livro de memórias do músico. No livro, sem citar nomes, Tyler fala sobre "quase ter tido uma noiva adolescente" e que os "os pais dela se apaixonaram por mim e assinaram um documento de custódia para que eu não fosse preso se a levasse para fora do estado. Eu a levei em turnê comigo".

Julia afirmou, de acordo com o processo, que era "impotente para resistir" a vida de "poder, fama e riquezas". Ela diz ter conhecido o músico logo depois de seu aniversário de 16 anos em 1973, quando o Aerosmith fez um show em Portland, cidade de Oregon, nos Estados Unidos. Segundo o processo, Tyler a levou para seu quarto de hotel, onde discutiram a idade da menina. Ele supostamente "realizou vários atos de conduta sexual criminosa" antes de mandá-la de volta para casa em um táxi.

O músico também supostamente comprou uma passagem de avião para Julia assistir ao próximo show do Aerosmith em Seattle, já que ela era menor e não podia viajar com ele para outro estado. Depois do show, segundo o processo, ele novamente realizou atos sexuais com ela.

Julia alega ter engravidado de Steven Tyler em 1975, aos 17 anos, e ter realizado um aborto após ele ameaçar parar de bancá-la financeiramente. Depois do aborto, ela diz ter deixado o músico e voltado para Portland. Virou uma católica devota, segundo a Rolling Stone, conheceu seu futuro marido e enterrou na memória as experiências com o vocalista do Aerosmith.

A assessoria de Steven Tyler optou em não responder o pedido de posicionamento feito pela revista "Rolling Stone" e não comentou o caso.

Esta não foi a primeira vez que Julia Holcomb falou sobre um relacionamento com o músico. Em 2011, ela comentou as acusações contra o artista para um site de extrema-direita contra o aborto. No ano passado, ela deu um depoimento para o documentário Look Away, que fala da cultura de abuso sexual no rock.

O processo de Julia ocorre nos últimos dias de vigência da lei de vítimas infantis da Califórnia, uma legislação de 2019 que concedeu um período retrospectivo de três anos para sobreviventes de abuso sexual na infância apresentarem suas denúncias. O prazo para abrir um processo dentro dessa lei é 31 de dezembro de 2022.