Spotify faz acordo com KakaoM e libera músicas de bandas de K-pop no catálogo

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O Spotify voltou a disponibilizar em seu catálogo as canções de K-pop da KakaoM — uma das maiores empresas distribuidoras de música da Coreia do Sul. No dia 1º de março, a plataforma sueca provocou indignação dos fãs do gênero e causou grande repercussão nas redes sociais ao excluir as canções do gênero. Na ocasião, o Spotify informou que o acordo de licenciamento​ que eles tinham com a KakaoM havia sido encerrado, e eles negociavam uma renovação. Em nota nesta quinta (11), a plataforma confirmou o retorno das canções de K-pop ao seu catálogo. "Estamos satisfeitos que o conteúdo e os artistas da Kakao estejam de volta ao Spotify, permitindo que nossos mais de 345 milhões de ouvintes globais em 170 países desfrutem mais uma vez da música que amam. A missão do Spotify sempre foi conectar artistas a seus fãs em todo o mundo e dar aos ouvintes acesso a todas as músicas do mundo." Bandas como BTS não chegaram a ser afetadas pelas mudanças. O impacto foi maior para artistas que não têm distribuição própria no Ocidente, como a cantora IU e os grupos Mamamoo e Oneus. Já conjuntos como Monsta X e Seventeen, que passaram a ter distribuição no Ocidente apenas nos últimos anos, foram parcialmente prejudicados.