“Não é porque fiz o clipe da Lud que desgosto da Anitta”, diz sósia da poderosa

“Não é porque fiz o clipe da Lud, que desgosto da Anitta. Sou fã das duas”, apazigua Luiza. Foto: Reprodução/Instagram (@ludremartini)

Por Dolores Orosco (@doloresorosco)

A estudante Luiza Drewanz de Martini aparece por menos de 10 segundos em quatro flashes de “Cobra venenosa”, clipe de Ludmilla, lançado nesta sexta-feira, 3.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Tempo mais que suficiente para que seus lábios delineados e narizinho empinado – idênticos aos da Anitta pós-plástica – fossem amplamente notados pelos fãs das duas cantoras, que protagonizam a maior rivalidade atual da cena pop brasileira.

Leia também

“Não é porque fiz o clipe da Lud, que desgosto da Anitta. Sou fã das duas”, apazigua Luiza, 18 anos, carioca de São Conrado, criada em Copacabana, e que fez fama nas redes sociais como sósia da “poderosa”. Só nas três primeiras horas de lançamento de “Cobra venenosa”, a estudante ganhou 2 mil seguidores no Instagram. 

“Tem gente dizendo que perdi qualquer chance de trabalhar com a Anitta ou ser bff dela. Mas para mim, trabalho é trabalho. Foi só uma oportunidade que agarrei”, conta Luiza. “A equipe da Lud me descobriu pela minha conta no Instagram e fez o convite pelo direct. Quando cheguei para gravar, fiquei impressionada! O cenário e a equipe eram de superprodução”.

Filmado no dia 2 deste mês, o clipe de “Cobra venenosa” remete de imediato à troca de farpas públicas entre Ludmilla e Anitta nas últimas semanas. Apesar de Lud negar que a música tenha endereço certo, fica difícil acreditar ouvindo a letra. Mais ainda quando Luiza surge em cena no clipe e, pa pa pa pa pa pa pa: logo vem alguém na cabeça.

Dona de uma pequena marca de moda praia com a irmã, Luiza estuda para prestar o vestibular para Psicologia este ano e nunca tinha pensado em trabalhar no meio artístico. Até receber o convite de Lud. “Agora não descarto a possibilidade, quem sabe... Eu canto, meio desafinada, mas canto, e sempre fiz minhas pecinhas de teatro na escola.”