Sônia Abrão sobre profissão: 'Queria ser correspondente de guerra'

Apresentadora da Rede TV! fala sobre profissão na TV e polêmicas por audiência (Divulgação/Rede TV!)

Há mais de 18 anos trabalhando com o jornalismo de celebridades, a apresentadora Sônia Abrão, 60, confessou para a revista “Quem” que ela nunca sonhou em cobrir o mundo nos famosos e nem trabalhar com esse segmento na televisão.

“Me formei preparada para tudo, e até hoje sou assim. Se me jogarem em qualquer editoria, eu faço. Só teria dificuldade em economia. Eu já trabalhei um pouco em cada área, o entretenimento e a televisão nunca foram escolhas. É aquele velho ditado, ‘você faz planos e Deus ri’. Eu queria ser correspondente de guerra, era o meu projeto original. Me via rodando o mundo com uma mochila nas costas, amo geopolítica, mas nunca tive coragem de deixar minha família e cair no mundo”, declarou a artista da Rede TV!.

Leia mais:
Marília Mendonça faz piada por não ser reconhecida nos EUA
Modelo afirma que foi expulsa do show de Dua Lipa por apoiar Bolsonaro

A âncora do vespertino “A Tarde É Sua” também garantiu que não vale tudo pela audiência e que ela muitas vezes poupa os artistas em seu programa. A gente abre mão de muita coisa, embora os programas populares como o nosso tenham o rótulo de que tudo é sensacionalismo. A gente abre mão de notícia para poupar a pessoa. Até que ponto interessa para o público e pode prejudicar alguém? Se traz audiência, mas vai ferrar a vida da pessoa, a gente não dá. No outro dia vão acontecer outras coisas, então não precisamos prejudicar ninguém”, explicou a jornalista.