Sobrou muita comida do Natal? Aqui estão algumas ideias para não deixar nada estragar

Vida e Estilo International

Por: Javier Sánchez

Se há um fenômeno que se repete todo ano no Natal é o do “comprador descontrolado”, que acaba colocando muito mais comida em casa do que seria possível comer. Por mais que avós, tios e até os primos vegetarianos insistam, não se pode evitar a montanha de sobras depois das festas. A solução seria, obviamente, fazer um carrinho de compras mais racional. Mas como isso é quase sempre impossível, vamos seguir por outro caminho: tentar tirar vantagem de qualquer coisa que ficou na mesa, aguardando sem muitas esperanças que alguém coma.

(Foto: Public Domain Pictures)
(Foto: Public Domain Pictures)

Sobrou peru: Um clássico: muitas entradas fazem com que sobre pouca fome para o prato principal. No entanto, o peru (e as aves em geral) é um dos problemas de solução mais simples. Os americanos já têm a resposta: no dia seguinte ao da Ação de Graças, eles preparam alguns sanduíches espetaculares com a carne da ave desfiada.

Leia mais: Ceia de natal vegetariana: cinco receitas de pratos sem carne

Sobrou torrone: Todo aquele trabalho para cortar o torrone e, no final, ninguém come. Os torrones mais duros podem ser triturados para se tornar o ingrediente surpresa de um bolo muito gostoso. Já os macios, por sua vez, são ideais para fazer um delicioso creme.

Sobrou camarão: Entre os aperitivos de Natal, os frutos do mar são, sem dúvida, os mais delicados e alarmantes. Se você deixou alguns camarões intocados no prato, pode ficar tranquilo: no dia seguinte, eles podem ser o destaque de uma saborosa salada, ou até mesmo o recheio de alguns deliciosos croquetes.

(Foto: Wikipedia) <strong>Sobraram biscoitos amanteigado:</strong><span> Da mesma forma que o torrone, a lenda dos biscoitos errantes, que passam de mão em mão sem que ninguém termine de come-los, é uma tradição todo Natal. Não tem problema: eles podem ser o ingrediente principal de uma caçarola surpreendente, deixando a farinha de lado e colocando os biscoitos amassados em seu lugar.</span>
(Foto: Wikipedia) Sobraram biscoitos amanteigado: Da mesma forma que o torrone, a lenda dos biscoitos errantes, que passam de mão em mão sem que ninguém termine de come-los, é uma tradição todo Natal. Não tem problema: eles podem ser o ingrediente principal de uma caçarola surpreendente, deixando a farinha de lado e colocando os biscoitos amassados em seu lugar.

Sobrou peixe: Embora alguém tenha avisado que um prato principal era suficiente, no final cozinharam dois. No caso do peru, nós já vimos as possibilidades. A boa notícia é que o peixe também tem salvação: ele pode ser o ingrediente principal de uma sopa capaz de tranquilizar nossos estômagos depois de uma noite de excessos.

Sobrou salada de frutas: Até que preparar uma sobremesa mais leve para dormir foi uma boa ideia. Mas a verdade é que muitos desistem dela para ir diretamente aos licores. Não tem problema: você pode fazer alguns deliciosos shakes com as sobras das frutas.

(Foto: Pixabay)
(Foto: Pixabay)

Sobrou champanhe: Uma vez aberto, mesmo que você o tampe com o maior cuidado para não deixar o gás ir embora, ele vai ficar ruim. O melhor é usar o champanhe para fazer um sorvete muito gostoso ou mesmo como uma alternativa ao vinho branco e à cerveja na preparação de guisados de carne.

Leia mais: Carne de ganso e festa só em janeiro: veja como é o Natal pelo mundo

Sobraram frios: A mesa depois de um jantar de Natal é semelhante à paisagem depois de uma batalha. Há restos de comida por todo lado, e você observa, desolado, que há vestígios de frios em todos os lugares. O que você acha de salvá-los do lixo, dando-lhes uma nova vida adicionando-os em uma salada verde?

Sobrou salmão defumado: Embora pareça que todos gostaram, a verdade é que, no fim, sobrou meia bandeja de salmão defumado. É uma boa oportunidade para reutilizá-lo como a base de um creme que será aquela entrada especial no dia seguinte. O que você acha?

Sobrou pão: É sempre assim, seja Natal, aniversário do seu gato ou um jantar com os amigos da escola. Sempre há muito pão porque tendemos a comprar demais. Se tivermos paciência e não nos importarmos em gastar algum tempo com a faca, esses restos secos e duros podem se transformar em apetitosas migas, um prato típico da Península Ibérica.