Will Smith revela que cogitou matar o próprio pai para 'vingar' mãe

·2 min de leitura
Will Smith credit:Bang Showbiz
Will Smith credit:Bang Showbiz

Will Smith admitiu que cogitou assassinar seu próprio pai para "vingar" sua mãe.

Com uma infância marcada por violência, o ator, de 53 anos, descreveu, em sua aguardada autobiografia, momentos de tensão vividos dentro de casa, protagonizados especialmente por seu agora falecido pai, William Carol Smith, contra sua mãe, Caroline Bright.

Em um trecho de seu livro de memórias, intitulado 'Will', publicado pela revista 'People', o galã explicou que a personalidade "perfeccionista" de seu pai era, ao mesmo tempo, uma virtude e um defeito.

"Meu pai era violento, mas também estava presente em todos os jogos, peças e recitais. Ele era alcoólatra, mas estava sóbrio em todas as estréias de todos os meus filmes. Ele ouvia todos os álbuns. Visitava todos os estúdios. O mesmo perfeccionismo exacerbado que aterrorizava sua família era o que colocava comida na mesa todas as noites da minha vida", dizia um trecho da obra.

Em outro capítulo, Will narra ter presenciado um ato de violência doméstica que definiu sua personalidade para sempre.

"Quando eu tinha nove anos, vi meu pai socar minha mãe na cabeça com tanta força que ela desmaiou. Eu a vi cuspir sangue. Aquela ocasião, naquele quarto, provavelmente - mais do que qualquer outro momento da minha vida - definiu quem eu me tornei. Tudo o que fiz desde então - os prêmios e reconhecimentos, os holofotes e a atenção, os personagens e as risadas - foi uma sutil série de desculpas à minha mãe por minha inércia naquele dia. Por ter falhado com ela naquele momento. Por não ter conseguido enfrentar meu pai. Por ter sido covarde. O que você passou a conhecer como "Will Smith, o aniquilador de alienígenas e astro de cinema", é, em grande parte, uma construção. Um personagem cuidadosamente criado e elaborado; projetado para me proteger. Para me esconder do mundo. Para esconder o covarde", dizia outro fragmento do livro.

Embora Will tenha construído um relacionamento saudável com o patriarca depois do divórcio dos pais, ele admitiu que o ressentimento quanto à violência que vivenciou na infância ressurgiu anos depois, enquanto ele cuidava de seu pai acometido por um câncer.

"Uma noite, enquanto eu delicadamente o transportava de seu quarto para o banheiro, uma escuridão surgiu dentro de mim. O caminho entre os dois aposentos passa pelo topo da escada. Quando criança, eu sempre disse a mim mesmo que um dia vingaria minha mãe. Que quando eu fosse grande o suficiente, quando eu fosse forte o suficiente, quando eu não fosse mais um covarde, eu o mataria. Fiz uma pausa no topo da escada. Eu poderia jogá-lo de lá e facilmente teria escapado da lei. Quando as décadas de dor, raiva e ressentimento se acalmaram, eu sacudi minha cabeça e continuei a levar o papai para o banheiro", relembrou Will.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos