Síndrome do Impostor: saiba identificar se você já passou por isso

Thoughtful man looking out the window
É um sentimento incessante de incapacidade e se sentir um fracasso (Getty Images)

Frases como "ah, eu tive sorte!", ou "eu estava na hora certa, no lugar certo" podem acompanhar pessoas que têm a chamada Síndrome do Impostor. Essa ainda não é uma condição reconhecida como distúrbio mental pela Organização Mundial da Saúde (OMS), mas é uma situação corriqueira e identificada por diversos psicólogos.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!

A sensação de fracasso constante e de não se sentir merecedor de suas próprias conquistas, bem como se sentir uma fraude o tempo todo por não se achar capacitado para realizar um determinado tipo de tarefa, são alguns dos sentimentos que os que sofrem dessa síndrome acabam enfrentando. É o não pertencimento, mesmo tendo alcançado sucesso por seus próprios méritos.

Leia também

Comparações e competitividade

A condição pode afetar todas as pessoas, especialmente no ambiente de trabalho, por ser um local propício para comparações e competitividade. Mas os sentimentos podem abranger outras esferas da vida, como convívio social e no ambiente familiar. Separamos quatro maneiras de identificar se você pode estar com essa síndrome:

Nunca é bom o bastante

Se acha uma fraude porque acredita não ser bom o suficiente para realizar uma tarefa? O sentimento de fracasso é constante e sempre se sente na obrigação de trabalhar mais para entregar o que julga ser o suficiente para justificar suas conquistas, mesmo não achando merecedor delas? Esses são sentimentos claros da síndrome.

Procrastinação e o medo de julgamentos

A procrastinação é o ato de postergar toda tarefa até o último segundo. Para as pessoas com a Síndrome do Impostor, esse é um ato corriqueiro. Com medo de julgamentos alheios, elas evitam se expor e terem seus trabalhos analisados por terceiros. E, por isso, acabam deixando para depois para não encararem de frente esse momento desconfortável, ou por acharem que a tarefa não está boa o suficiente para ser entregue e, portanto, trabalham mais tempo em uma mesma atividade a fim de aperfeiçoar o resultado. É bastante comum pessoas desenvolverem um perfil workaholic para compensar.

Depressed frustrated trader tired of overwork or stressed by bankruptcy, sad shocked investor desperate about financial crisis or money loss, upset businessman having headache massaging nose bridge
Sempre entender que seu trabalho não é o suficiente é um dos fatores da síndrome (Getty Images)

Sou uma fraude!

Pessoas que sofrem com a síndrome acreditam que a qualquer momento serão desmascarados por pessoas mais experientes. Por não se acharem boas o bastante e acreditarem que colegas e amigos são melhores – até mesmo quem é menos experiente pode ser melhor. Aqui, a comparação com o trabalho de outros é evidente.

Gregos e troianos

O ditado já diz: não dá para agradar a todos. Mas quem sofre da Síndrome do Impostor tem a necessidade de ser simpático com todo mundo para compensar a suposta falta de capacidade. É a busca pela aceitação. Há até mesmo quem aceita situações humilhantes porque julga que aquilo o fará ser visto com bons olhos.

Ansiedade e depressão

Apesar de não ser reconhecida como doença, a Síndrome do Impostor pode levar a quadros mentais mais preocupantes como ansiedade e depressão. Para tratar, é interessante buscar ajuda psicológica. Investir em técnicas de inteligência emocional, para aprender a lidar com o sentimento, também pode ser uma boa saída.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos