Sindicato convoca greve de funcionários da Zara em cidade natal da loja durante "Black Friday"

Consumidores esperam em frente a uma loja Zara em Nantes, França

MADRI (Reuters) - Um grupo sindical que representa assistentes de venda na varejista de moda Zara convocou uma greve de dois dias por reivindicações salariais nas 44 lojas da cidade originária da loja, La Coruña, no norte da Espanha, afirmou a líder do sindicato nesta quinta-feira.

A greve, convocada pelo sindicato regional CIG, irá acontecer durante a chamada "Black Friday", nos dias 24 e 25 de novembro, afirmou a líder sindical e assistente de vendas Carmiña Naveiro.

O CIG representa mais de 1 mil assistentes de venda que trabalham na Zara em La Coruña.

Disputas trabalhistas por conta de salários diante da inflação crescente estão em alta por toda a Europa nos últimos meses.

A decisão de convocar a greve seguiu uma reunião entre a proprietária da Zara, a Inditex e os representantes de pelo menos três sindicatos na quinta-feira.

A empresa havia aumentado uma proposta salarial inicial durante as negociações, mas ela foi considerada insuficiente pelo CIG, afirmou Naveiro após a reunião.

"Queremos salários similares aos dos trabalhadores da Inditex nas fábricas e centros de logísticas que são muito próximos daqui".

Trabalhadores de centros de logística ganham cerca de 2 mil euros por mês.

A Inditex propôs um aumento de 10% para o ano que vem, mais pequenos incrementos anuais até 2025, o que no total representaria um total adicional de 200 euros nos salários mensais dos trabalhadores até então, afirmou o sindicato.

(Reportagem de Corina Pons)