Simony diz que, se ganhar processo contra Dudu Camargo por assédio, doará indenização

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Durante o primeiro dia de cobertura do Carnaval 2020, pela RedeTV!, Simony, 43, teve o seio apalpado, ao vivo, sem consentimento, por Dudu Camargo, 21. Decidida a processar o apresentador por assédio, a cantora afirma que, caso ganhe o processo, doará a indenização para casas que cuidem de mulheres violentadas, abusadas e que sofrem relacionamentos abusivos.

"Aprendi como mulher, mesmo, não só por ser artista, aprendi a ser voz. E não ter medo do que vão pensar ou dizer de mim, que estão fazendo 'mimimi'. Tudo que você luta, não é esquerda ou de direita, é seu direito. Usei minha voz sem ter medo só porque sou artista. Já foram tomadas todas as providências", explicou a artista em entrevista a Quem.  

A cantora reiterou não ter sido procurada por Camargo após o ocorrido e disse não ter problema com ninguém. Ela afirmou, ainda, que apesar de tudo vê sua estreia como apresentadora de maneira positiva: "Tirando caso do Dudu, tudo foi muito legal. Ano que vem estou em Salvador".

Um dia após o assédio, Simony falou ao F5 não ter reagido na hora em que Dudu a tocou sem permissão por ter ficado perplexa diante da situação. "Poderia ter jogado o microfone nele, xingado, mas aquilo me deixou tão passada que não consegui tomar uma atitude. Simplesmente me manifestei, não pelo barulho que a internet fez, mas porque isso me deixou chateada."