Cinco músicas de Simonal que todo mundo precisa ter na playlist

Wilson Simonal (Foto: Reprodução)

Fenômeno entre os anos 60 e 70, o cantor Wilson Simonal, morto em 2000, arrastou multidões em shows, tendo programa na TV e vendendo milhões de discos.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

O sucesso de suas faixas Meu Limão, Meu Limoeiro e Sá Marina, por exemplo, fizeram de Simonal um dos cantores mais bem pagos e famosos do Brasil no período.

Leia também

Sucessos, estilo cheio de suingue e voz potente levaram Simonal a um momento icônico em sua carreira: a apresentação no ginásio Maracanãzinho, em 1969, quando iria abrir o show de Sergio Mendes, mas acabou sendo a estrela principal, ovacionado pelo público.

Um incidente durante a Ditadura Militar, cercado de muita controvérsia, praticamente encerrou a carreira de Wilson Simonal. Preso pelo regime militar, ele foi acusado no meio no meio artístico de entregar os colegas para a repressão.

Com a sua história contada no filme "Simonal", muitas de suas músicas foram redescobertas pelo grande público. Confira 5 faixas essenciais da carreira do músico:

1. Meu Limão, Meu Limoeiro

Lançada em 1966, a música já fazia parte do cancioneiro popular brasileiro há décadas, mas virou sucesso na voz do cantor. Caiu na boca do povo e, sem dúvida, tornou-se a música mais cantada de seu repertório.

2. Sá Marina

De 1968, Sá Marina se tornou um grande sucesso de Simonal e uma das suas músicas mais conhecidas até hoje. Cheia de suingue, foi gravada por Sergio Mendes e Stevie Wonder em inglês como Pretty World. Em 1999, Ivete Sangalo regravou Sá Marina, trazendo a música de novo às paradas.

3. Nem Vem Que Não Tem

É considerada um hino da “malandragem”, que fazia parte do estilo de Simonal. Com letra criativa e cheia de metáforas, a música escrita por Carlos Imperial e lançada em 1967 encontrou seu cantor ideal.

4. Carango

Simonal adorava carros, tanto que chegou a ter três Mercedes ao mesmo tempo. Sua música Carango, de 1966, combinava o seu jeito vaidoso e exuberante com uma letra simples e divertida que caiu no gosto do público.

5. Tributo a Martin Luther King

Simonal recebia críticas por não ter posicionamento político e não defender os negros. Era ainda acusado por se esconder atrás de canções dançantes. A resposta, em 1967, foi uma música em parceria com Roberto Bôscoli, Tributo a Martin Luther King. A canção fala sobre a luta dos negros nos Estados Unidos.