Sidney Poitier em cinco filmes

·3 min de leitura

Sidney Poitier, que faleceu aos 94 anos, se tornou o primeiro superastro negro de Hollywood, após interpretar diversos papéis pioneiros em clássicos do cinema entre os anos 1950 e 1970.

- 'Acorrentados' (1958) -

Dois fugitivos, um branco (Tony Curtis) e outro negro (Poitier) são algemados juntos depois de escapar. O veículo policial que os transporta sofre um acidente no sul dos Estados Unidos, onde a segregação racial ainda é a norma.

Os dois se odeiam, mas entendem rapidamente que têm mais chances de sair desta juntos. A cooperação forçada se transforma em amizade depois que passam a se conhecer melhor e a encontrar pontos em comum, como o fato de terem trabalhado no setor da construção antes da prisão, e de terem sido humilhados por seus antigos patrões.

A atuação rendeu a Poitier sua primeira indicação ao Oscar.

- 'Uma Voz nas Sombras' (1963) -

Poitier interpreta um aventureiro que conhece um grupo de freiras alemãs da Igreja Católica no deserto do Arizona que estão tentando construir um templo para a comunidade latina. Inspirado por sua dedicação, ele se junta aos esforços e ensina inglês a elas.

Esta comédia dramática de Ralph Nelson, com seus valores de solidariedade entre as diferentes comunidades, contrastava com a xenofobia presente nos Estados Unidos predominantemente brancos daqueles tempos.

"Prefiro gravar filmes dos quais, ao sair do cinema, as pessoas sintam: 'é bom estar vivo'", disse Poitier, que ganhou o Oscar de melhor ator com este papel.

- 'No Calor da Noite' (1967) -

O longa-metragem de suspense de Norman Jewison levou quatro prêmios da Academia de Hollywood, incluindo o de melhor filme. A história retrata de forma arrepiante o sul dos Estados Unidos, com Poitier como um modelo de integridade em meio à incompetência dos brancos no Mississippi.

Depois que um empresário é assassinado em uma pequena cidade, um homem negro é preso. Poitier interpreta um detetive da Filadélfia que tem que ir ao local para ajudar nas investigações.

- 'Adivinhe Quem vem para Jantar' (1967) -

O matrimônio interracial era ilegal em 17 estados dos Estados Unidos quando esta comédia sobre uma mulher rica que leva seu noivo para conhecer os pais foi filmada.

Os pais, intelectuais progressistas que se consideravam pessoas de mente aberta, se surpreendem quando veem que o noivo é negro (Poitier).

Katharine Hepburn e Spencer Tracy, interpretando os pais, tornaram o filme em um sucesso, mas ativistas do movimento negro criticaram Poitier afirmando que o longa deixava de lado os verdadeiros problemas.

Ao interpretar um médico de prestígio, segundo os ativistas, Poitier estava cedendo à "fantasia branca" do que um homem negro deveria ser.

O filme estreou no mesmo ano em que os Estados Unidos foram sacudidos por enormes protestos por temas raciais e que a Suprema Corte declarou legais os casamentos interraciais.

- 'Aconteceu num Sábado' (1974) -

A primeira comédia negra a se tornar um sucesso de bilheteria nos Estados Unidos retrata dois amigos - Poitier e Bill Cosby - que passam algumas dificuldades para encontrar um bilhete de loteria em uma carteira que foi roubada.

Poitier dirigiu e também interpretou um dos divertidos protagonistas, em um filme que tinha atores negros nos papéis principais, ao invés de serem apenas o objeto das piadas.

O astro continuou seu sucesso como diretor com "Aconteceu Outra Vez", em 1975, e "Os Espertalhões", em 1977, que deve ganhar uma nova versão este ano sob a tutela de Will Smith e protagonizada por Denzel Washington.

rap-eab/fg/ec/pr/llu/rpr/am

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos