Shriti Vadera, primeira mulher e pessoa negra a presidir a Royal Shakespeare Company

·1 minuto de leitura
(Arquivo) Shriti Vadera em Washington em 16 de outubro de 2013

A empresária britânica Shriti Vadera foi nomeada presidente da Royal Shakespeare Company (RSC), tornando-se a primeira mulher e pessoa negra a ocupar o cargo, anunciou nesta quarta-feira (28) a prestigiosa companhia de teatro.

Esta ex-banqueira de negócios substituirá Nigel Hugill, que preside a companhia há dez anos. Shriti Vadera nasceu em Uganda mas fugiu com sua família, de origem indiana, quando os asiáticos foram expulsos pelo ditador Idi Amni Dada.

A nomeação ocorre em um momento delicado para a RSC, que enfrenta o desafio de voltar aos palcos após os meses de confinamento, que no momento está sendo flexibilizado gradualmente no Reino Unido.

Shriti Vadera dirige desde janeiro a seguradora britânica Prudential. Foi presidente do banco Santander UK entre 2015 e 2020, após sua passagem pelo governo britânico entre 2007 e 2009, onde trabalhou como secretária de Estado de Pequenas Empresas e Concorrência dentro do Executivo trabalhista de Gordon Brown.

Seu nome também ecoou entre os favoritos para substituir Mark Carney como governador do Banco da Inglaterra.

"Cresci em Uganda e na Índia, em uma comunidade tradicional onde as expectativas para o desenvolvimento das meninas eram escassas", comentou.

"Li e imaginei Shakespeare antes de ver representações [de suas obras] e isso me abriu um mundo diferente, me incentivou a buscar possibilidades que transformaram minha vida", acrescentou, defenindo-se como uma "fanática das artes".

Vadera apontou que a companhia "está saindo de um de seus anos mais difíceis por causa da pandemia", mas que está "entusiasmada para apoiar e defender a RSC como sua nova presidente e olhar para o futuro". "É uma joia e uma honra", concluiu.

mpa/gmo/jvb/mb/aa