Shows da posse de Lula têm clássicos da MPB, gospel e rap indígena sob sol forte

BRASÍLIA, DF, 01-01-2023 - POSSE PRESIDENTE LULA -  Apoiadores do presidente Lula aguardam cerimônia de posse na Praça dos Três Poderes. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)
BRASÍLIA, DF, 01-01-2023 - POSSE PRESIDENTE LULA - Apoiadores do presidente Lula aguardam cerimônia de posse na Praça dos Três Poderes. (Foto: Gabriela Biló/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Festival do Futuro, como foi batizada a série de shows que embalam a posse do presidente eleito Lula neste domingo em Brasília, começou músicas que já tomavam conta da capital federal, entre elas clássicos "Sujeito de Sorte" e "O Bêbado e a Equilibrista".

Com essas músicas populares um grupo de artistas abriu a primeira apresentação do dia, chamada de "Brasília de Todos os Ritmos", às 11h. Apesar de preocupações com a segurança em torno da posse, no rastro de uma tentativa de ataque terrorista nos últimos dias, não houve revista para entrar na Esplanada dos Ministérios.

Foi na apresentação de Kleber Lucas que o público começou a crescer. Debaixo de um sol forte, alguns tentam uma sombra perto das poucas árvores no local, ou usam guarda-chuvas e cangas para se proteger.

O cantor gospel se apresenta também com Clóvis Pinho, Leonardo Gonçalves, Mn Mc e Sarah Renata, que foi aplaudida após dizer que eles representam uma parte dos evangélicos do país.

"Se você vir por aí gente sendo violentada em nome da religião, da família tradicional brasileira, essa não é a régua de cristo", disse. "A régua de cristo é o amor."

Um trio de rappers indígenas, liderado por Kaê Guajajara, tomou o palco logo depois da apresentação gospel, que teve como principal nome o pastor Kleber Lucas.