Gusttavo Lima é contratado por município com cachê de R$ 800 mil: "Queremos visibilidade", diz prefeito

Gusttavo Lima (Foto: AgNews)
Gusttavo Lima (Foto: AgNews)

Resumo da Notícia:

  • Gusttavo Lima é a principal atração de uma feira agropecuária em um município pequeno de Roraima

  • O cantor receberá R$ 800 mil pelo show que acontecerá em dezembro deste ano

  • Yahoo conversou com o prefeito da cidade que espera movimentar cerca de R$ 30 milhões nos três dias

Gusttavo Lima está novamente no centro das atenções por motivos políticos. O cantor foi contratado para fazer uma apresentação durante uma feira em uma cidade no interior do Brasil e o que chamou a atenção nas redes sociais foi o valor do cachê pago em relação ao tamanho do município.

Conforme publicado no Diário Oficial do município de São Luiz, em Roraima, a prefeitura local pagou R$ 800 mil para que o sertanejo se apresentasse na XIII Feira de Agronegócios do Município de São Luiz de Roraima. A cidade tem pouco mais de R$ 8 mil habitantes e o evento acontece nos dias 2, 3 e 4 de dezembro.

O processo administrativo nº 030/2022 tem como objeto a "contratação de pessoa jurídica responsável pelo show musical do artista de notável reconhecimento nacional Gusttavo Lima". Ele ainda indica que o contrato é entre a prefeitura e a Balada Eventos e Produções, empresa que gerencia a carreira do cantor.

Diante disso, Yahoo conversou com James Batista (Solidariedade), que é prefeito da cidade, para saber mais sobre o evento. À reportagem, ele destacou que não será gasto dinheiro do cofre municipal para o pagamento de cachês, que somam cerca de R$ R$ 1,1 milhão. Além de Gusttavo, também se apresentam Solange Almeida e César Menotti e Fabiano. A cantora cobrou R$ 108 mil e a dupla R$ 150 mil para as apresentações.

“Não estamos fazendo um evento para satisfazer um ego pessoal. Não queremos gastar o dinheiro público só pelo prazer de ter o Gusttavo presente. Estamos potencializando a capacidade política que a cidade tem e o Brasil está nos olhando. Podemos mudar a matriz econômica da cidade”, afirma o político.

Ele ainda ressaltou que o motivo da contratação do artista já dá frutos. “Outro nome daria a repercussão que o Gusttavo está dando? Não daria. Queremos visibilidade. Que o Brasil conheça esse município com riquezas inexploradas que mudarão a qualidade de vida que aqui residem”, afirma.

James explica que os valores gastos na contratação dos artistas e equipamentos, como som e luz, serão pagos pelo evento que tem receita direta estimada em R$ 3 milhões. “Arrecadaremos cerca de R$ 1,8 milhão via Documento de Arrecadação Municipal, ou seja, dinheiro na conta da prefeitura, com a venda de estacionamento, autorização de barracas de alimentos e camarotes que vão ladear a área do show, que terá a pista de acesso gratuito e público”, aponta sobre parte da geração de recurso direto.

A região onde fica o município, no eixo da BR-210, deve receber uma injeção de recursos estimada em R$ 30 milhões ao longo dos três dias de evento. “Vai movimentar toda a economia de quatro municípios porque fisicamente não comportamos todo o público. Esperamos 100 mil pessoas nos três dias de Feira”, completa.

O Yahoo também entrou em contato com a assessoria de imprensa de Gusttavo Lima, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem. A equipe do cantor entrou em contato dia 26/05/2022, quando o texto foi atualizado e a nota inserida no fim do texto.

Repercussão nas redes sociais

O evento ganhou as redes sociais com uma publicação no Twitter, que até a tarde desta terça-feira (24) já somava mais de cinco mil compartilhamentos e 32 mil curtidas. "Idosos, bebês, todos pagaram. Claro que não precisam de Lei Rouanet. Esse é mais um dos cantores sertanejos que ficam repetindo o discurso do Bozo, que supostamente são contra a mamata, mas são contratados por municípios minúsculos a valores absurdos, usando dinheiro da população e sem licitação. Com esse 'jeitinho' não precisa mesmo de fomento", diz a publicação.

"Isso vai acontecer na segunda cidade mais pobre do estado de Roraima, cidade que não depende do turismo, que não tem absolutamente nada que justifique esse valor de 800 mil reais pago em um show. Para quem vive esbravejando que não depende de dinheiro público", escreveu Leonardo Nascimento ao republicar a informação.

Outras dezenas de contas republicaram o conteúdo relatando um dos lemas de eleitores de direita no país: "a mamata acabou". "A mamata do Gusttavo Lima, cabo eleitoral da distopia, escarrada na cara do país", publicou o jornalista Bruno Torturra.

Polêmica em Brasilia

Neste fim de semana, o cantor já havia ganho as redes sociais após um show que realizou em Brasília, no Distrito Federal. Com mais de 2h de duração, o evento do sertanejo na capital do país reposicionou o seu apoio às pautas defendidas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). Para isso, o artista convidou o narrador Cuiabano Lima, que fez um discurso antes da apresentação.

“A sua família é a sua riqueza. O teu sonho é a tua vitória, a tua conquista. E nós temos que defender, que acreditar. Porque na vida é Deus, pátria, família e liberdade, porra. Liberdade para pensar, para agir, para conversar. Liberdade para estar na internet, liberdade de expressão, liberdade de conquista. E a gente tem que conquistar essa porra porque o Brasil é nosso”, discursou.

O locutor, considerado ‘a voz de Barretos’, um dos maiores festivais de rodeio do mundo, ainda bradou contra o comunismo. “Aqui nunca será o comunismo e sim uma democracia para você fazer o que você quiser.”

Leia a íntegra da nota:

A BALADA EVENTOS, empresa que representa o artista GUSTTAVO LIMA, através de seu advogado CLÁUDIO BESSAS, esclarece que:

O valor do cachê do artista é fixado obedecendo critérios internos, baseados no cenário nacional, tais como: logística (transporte aéreo, transporte rodoviário, etc.), tipo do evento (show privado ou público), bem como os custos e despesas operacionais da empresa para realização do show artístico, dentre outros fatores.

Não pactuamos com ilegalidades cometidas por representantes do poder público, seja em qualquer esfera.

Toda contratação do artista por entes públicos federados, são pautados na legalidade, ou seja, de acordo com o que determina a lei de licitações.

Com relação a verba para realização de “show artístico”, cabe ao ente público federado agir com responsabilidade na sua aplicação. Não cabe ao artista fiscalizar as contas públicas para saber qual a dotação orçamentária que o chefe do executivo está utilizando para custear a contratação.

A fiscalização das contas públicas é realizada pelos órgãos: TCU (Tribunal de Contas da União ou TCE (Tribunal de Contas do Estado), de acordo com suas competências, seja a nível Federal, Estadual ou Municipal.

Portanto, qualquer ilegalidade cometida pelos entes públicos, seja na contratação de show artísticos ou qualquer outra forma de contração com o setor privado, deverá ser fiscalizada pelo Tribunal de Contas e se apurada qualquer ilegalidade, deverá ser encaminhada para a Justiça competente para julgar o ilícito eventualmente cometido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos