Sheron Menezzes precisou superar medo para protagonizar "Vai na Fé"

Novela das sete estreia na TV Globo nesta segunda-feira (16)

Sheron Menezzes como a protagonista Sol em
Sheron Menezzes como a protagonista Sol em "Vai na Fé". Foto: Ellen Soares/Globo/Reprodução/Globo

Resumo da notícia:

  • Sheron Menezzes precisou se superar para estrelar "Vai na Fé"

  • Atriz tem vergonha de dançar e cantar em público

  • Novela das sete estreia na TV Globo nesta segunda-feira (16)

Além do desafio de viver uma protagonista pela primeira vez, Sheron Menezzes passa por outra superação ao estrelar "Vai na Fé", que estreia nesta segunda-feira (16). Em entrevista coletiva, a atriz revelou ter muita vergonha de cantar e dançar em público.

O detalhe é que Sol, vivida por Sheron, trabalha como dançarina anos após fazer sucesso na juventude. Para isso, Sheron precisou passar por cima do medo de requebrar em frente às câmeras.

"Dançar e cantar são coisas que eu amo fazer, mas que eu morro de vergonha mesmo. Vim de outro trabalho que, coincidentemente, eu tive que passar por essa vergonha. Também tive que cantar e dançar. Outro ritmo e outras coisas, mas tive que passar por cima da vergonha. Eu adoro isso", declarou.

Vale lembrar que a atriz viveu a cantora Rayssa em "Maldivas", da Netflix, e contou ao Yahoo na época como precisou alinhar os dotes artísticos da personagem. "Era algo que eu não fazia há algum tempo, diferente de mim, porque canta e dança. Então, tive que fazer aula de canto, aula de dança, mudar cabelo. Foi completamente o meu contrário e foi muito gostoso. Já estou morrendo de saudade", afirmou no evento em junho de 2022.

Superação em curso

Meses depois, Sheron voltou a despertar seu lado dançarina e encarar o desafio de colocar o corpo para jogo. "Cada cena é passar por cima de algo que mexe comigo, que são desejos e vontades desde sempre e que eu não fazia por medo. Agora, eu consigo fazer por trabalho. Me deixa muito feliz quando eu consigo fazer e o diretor fala que foi ótimo e eu penso que consigo fazer isso na frente das pessoas. Tem sido muito gostoso", relatou.

Importância da trama

Sheron destacou a relevância da novela desde o título, que diz por si só. "É um momento em que a gente precisa voltar a ter fé. Para acordar e tocar teu dia, ir trabalhar, voltar para casa, colocar as crianças para a escola, cada um na sua fé", afirmou.

Na trama escrita por Rosane Svartaman, Sol é uma mulher evangélica, movida pela fé, que se sustenta com a venda de marmitas antes de voltar a dançar nos palcos. Sheron pontuou que a vida da personagem principal pode ser reflexo de grande parte da audiência.

"É muito gostoso ver a Sol como uma protagonista que tem seus problemas, mas levanta com sorriso no rosto e toca um dia longo. Ela trabalha, ela cozinha, ajuda a mãe a fazer as quentinhas, bota a roupa para bater, pega um ônibus, vai fazer show. Ela faz tudo como muitas mulheres fazem no seu dia a dia. É importante as pessoas ligarem a televisão e se identificarem de uma maneira positiva", refletiu ao ressaltar o fato de ser uma mulher preta.

Presente no evento, Elisa Lucinda, que vive mãe de Sol, ainda ressaltou a representatividade das personagens que compõem o núcleo delas. A família também conta com Bella Campos e Manu Estevão como as filhas de Sol (Sheron Menezzes) e netas de Marlene (Elisa Lucinda). “Uma casa tocada com a cultura do feminino. Essa gestão feminina, que tanto acontece nas casas e a gente não tem um farol dentro delas. Uma casa com fundamento no evangelho e as suas contradições”, disse a veterana.

Sol (Sheron Menezzes), Jenifer (Bella Campos), Marlene (Elisa Lucinda), Duda (Manu Estevão) e Carlão (Che Moais) em
Sol (Sheron Menezzes), Jenifer (Bella Campos), Marlene (Elisa Lucinda), Duda (Manu Estevão) e Carlão (Che Moais) em "Vai na Fé". Foto: João Miguel Júnior/Globo