Mercado de sextoys e brinquedos eróticos mira em mulheres na menopausa

Elisa Soupin
·4 minuto de leitura
Middle-aged attractive woman lying in bed on comfortable memory foam pillow fresh beige color bed clothes enjoying early morning awakened at home closed eyes dreaming visualizing perfect day concept
Mercado de sextoys e brinquedos eróticos mira em mulheres maduras. Foto: Getty Images

Por Elisa Soupin (@faleparaelisa)

Nessa 'carentena, o Brasil registrou a marca de mais de um milhão de vibradores vendidos. E o mercado erótico está atento a uma parcela específica de consumidores: as mulheres maduras vêm ganhando mais produtos pensados especificamente para suas necessidades.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Mas, afinal, o que é uma 'mulher madura’? “Fisiologicamente, a mulher é considerada madura quando está no final no seu período de produção de óvulos, iniciando uma preparação para a menopausa ou na própria menopausa, que nada mais é que a parada da ovulação e, consequentemente, a finalização do ciclo menstrual. A 'mulher madura’ se encontra nessa fase onde a vida sexual começa a ter um outro significado”, explica Vânia Bressani, psicóloga clínica, sexóloga e terapeuta de casais e família.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário

O corpo da mulher passa por mudanças antes da menopausa, em um período de transição chamado de climatério, em que começam a acontecer alterações na fisiologia do aparelho reprodutor. E isso tem tudo a ver com o tipo de brinquedo erótico que vai dar mais prazer para a mulher dessa idade. “No climatério, começa a haver um ressecamento e uma maior sensibilidade do tecido vaginal, que fica mais fino”, explica a especialista.

De olho nessa fatia do mercado, várias marcas vêm produzindo, por exemplo, lubrificantes especiais, produto essencial para mulheres nessa fase. A marca alemã de brinquedos sexuais de alta tecnologia Fun Factory desenvolveu um modelo de vibrador que é indicado para mulheres mais velhas.

A dra. Vânia conta que as mulheres maduras que ela atende relatam que os sextoys que mais agradam costumam ter algumas especificidades. “São brinquedos sexuais mais soft, não há mais tanto apreço por brinquedos maiores, que simulem o desenho de um pênis avantajado, elas querem sim, algo que as penetre com conforto”, diz Vânia.

Quanto à vibração, os brinquedos que permitem o controle vibratório tendem a ser os preferidos (e as vibrações usadas provavelmente não serão as mais potentes). “Acredito que preferem uma menor vibração, mas com uma constância maior, porque o sexo não vai ter mais aquela urgência para o orgasmo. É um sexo muito mais focado nas sensações”, diz ela.

Dona de si e de seu orgasmo

Essa mulher quer escolher a intensidade e a velocidade dessa vibração e, de acordo com a especialista, nessa faixa etária, o tipo de prazer é mais certeiro. “Essas mulheres se masturbam com muito mais facilidade do que as mulheres mais jovens, elas já conhecem o próprio corpo, entendem como buscar o prazer, como se excitar mais e como desencadear o orgasmo”, diz ela.

“Os tipos de vibradores e acessórios preferidos são os com controle deslizantes, fáceis de ligar e desligar”, diz Paula Aguiar, consultora e expert em mercado erótico. Os modelos tipo bullet fazem sucesso com o público.

Cuidados especiais

A perda da lubrificação natural é contornável com o uso de produtos sintéticos, vários pensados especificamente para essas mulheres. “Esse novo momento, com foco diferenciado na sexualidade, exige alguns cuidados. Pode haver dor ou desconforto na penetração. Nessa hora, entram os lubrificantes, porque o resto continua preservado: há desejo, excitação e orgasmo”, explica Vânia.

“Muitos lubrificantes costumam já conter hormônios para esse tecido mais sensível e para a musculatura vaginal e agem como um estimulador da excitação e ao mesmo como uma proteção para o desconforto de uma penetração sem a lubrificação necessária”, diz ela.

Questão de saúde

Mais do que apenas prazer, o uso de acessórios representa uma questão de saúde para a mulher. Isso porque com o passar do tempo, a musculatura vaginal se enfraquece.

“As pregas vaginais que tinham capacidade de contração e sucção intensa vão se perdendo. Então, a mulher que faz exercício consegue preservar essa musculatura com a função de contração e sucção. E esses instrumentos ajudam nisso. Há pesos, bolinhas e dilatadores que ajudam a sustentar o assoalho pélvico. Servem para preparar a vagina para a relação sexual, mas muitas mulheres relatam que se excitam com esses exercícios”, diz Vânia. Ou seja: saúde e tesão lado a lado.

“Uma boa indicação para essa faixa de idade é a linha Peridell, que é um tipo de vibrador indicado para pessoas da melhor idade, porque ajuda na incontinência urinária e, além disso, há estudos que falam sobre a importância da vibração para o fortalecimento do mapa do assoalho pélvico”, explica Paula Aguiar.

Curtiu? Então veja a seleção especialmente curada para essa faixa etária

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Da esquerda para a direita:

  1. Massageador Terapêutico para a região perineal - Peridel, R$109

  2. Vibrador Limba Flex - Fun Factory, R$399

  3. Vibrador Bullet - Hot Flower, R$38,83

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Da esquerda para a direita:

  1. Lubrificante corporal - K-Luby, R$11,45

  2. Lubrificante - Lub Femme, R$13,17

  3. Lubrificante Feliz Idade - Pessini, R$37,91