Sexta-feira 13 coincide com fase da Lua cheia

Camila Tuchlinski e Ludimila Honorato


A sexta-feira 13 sempre foi recheada de mistérios e um prato cheio para aqueles mais 'cabalísticos'. Algumas pessoas já se programam para a data enigmática e preferem evitar situações de azar. Outras, acreditam na sorte.

Agora, imagine que uma sexta-feira 13 coincide com a Lua cheia, período também repleto de mistérios e superstição. É o que vai ocorrer hoje, em todo o mundo: a lua estará em sua fase cheia. Porém, o momento em que a lua estará em um ângulo de 180 graus em relação ao sol, em seu exato oposto, será exatamente a 1h35 (horário de Brasília) deste sábado, 14.

Ao olhar para o céu nesta sexta-feira, 13, será possível ver a lua cheia, mas ainda estará faltando um pedacinho para que o satélite atinja esse formato completo. O ápice será na hora indicada anteriormente, como confirmou ao E+ Messias Fidêncio Neto, técnico do Observatório Abrahão de Moraes do Instituto de Astronomia da Universidade de São Paulo (IAG-USP). Nos Estados Unidos, por exemplo, a lua será completamente cheia a 0h33 de sábado, 14, segundo a NASA.

Pode ser que a lua cheia atinja seu ápice nesta sexta-feira, 13, mas o técnico diz que isso depende do fuso horário. O especialista explica que as quatro principais fases da lua que conhecemos (cheia, minguante, nova e crescente) duram apenas um instante. Logo em seguida, ela já começa a se transformar. Mas, a olho nu, não percebemos. "As pessoas devem estar arredondando. É quase dia 13 [o ápice], mas não é", diz Neto. "Quem olhar o céu, com certeza verá, mas [o fenômeno] chama mais atenção por ser sexta 13."

Segundo o técnico, a lua tem uma aparência diferente a cada noite, mas a mudança é lenta e imperceptível a olho nu. No entanto, uma coisa é certa: entre o ápice de uma fase e o ápice da fase seguinte, são aproximadamente sete noites. Por conta disso, estudiosos investigam a influência do satélite natural da Terra na vida das pessoas, desde o corte de cabelo, passando pelo sono, até o ciclo de fertilidade das mulheres.


A Lua pode influenciar o vinho?

Especialistas dizem que o calendário biodinâmico, que inicialmente era usado para aconselhar os agricultores nas plantações, seria capaz de concluir qual dia é ideal para a colheita das uvas.

Na astrologia, há quem diga que, quando a Lua passa pelos signos de Sagitário, Leão e Áries, a produção pode tornar o vinho mais saboroso. Saiba mais aqui.

A Lua e o cinema

Desde os tempos ancestrais, os corpos celestes exercem irresistível atração sobre os humanos. Chama-se selenofilia a fascinação pela Lua que, desde o início, caracteriza a humanidade.

Hollywood está sempre a postos para criar essas histórias inspiradoras e forjar mitos do inconsciente do público. Alguns filmes em que a Lua surge como símbolo de identidade da indústria cinematográfica são:

- E.T. - O Extraterrestre, de Steven Spielberg;
- Apollo 13, de Ron Howard;
- Caubóis do Espaço, de Clint Eastwood;
- Kaos, dos Irmãos Taviani;
- Contos de Nova York, de Francis Ford Coppola;



Também vale destacar a tradição de lobisomens - homens que se transformam em lobos graças à Lua cheia - em Hollywood, com Frankenstein e o Lobisomem, Os Lobisomens do Terceiro Reich e Lobo.

Assista ao vídeo (e fique com medo):

E para quem quer um pouco de terror nesta sexta-feira 13, sugerimos uma lista de filmes para sua noite de Lua cheia; clique aqui.

Primeiras imagens da Lua

Há 50 anos, as primeiras fotografias da Lua eram manchetes no Estado. As imagens da NASA mostravam as pegadas de Neil Armstrong, primeiro astronauta em solo lunar. Para conferir a edição do jornal da época, clique aqui.

Assista ao vídeo: