Sexóloga revela como ter o melhor sexo da vida em qualquer idade

·7 minuto de leitura

Chantelle Otten é uma premiada psicossexóloga apaixonada por ajudar as pessoas a se sentirem melhor com a saúde, a autoestima, a comunicação e a educação sexuais.

Loving couple lying in bed together. Flat vector illustration. Man and woman cuddling after sex with clothes scattered on floor. Intimacy, sex, love, relationship, romance concept for banner design
Chantelle Otten revela como fazer o melhor sexo em qualquer idade. (Foto: Getty Imagens)

Ter prazer no sexo é maravilhoso. Além disso, a prática sexual regular, a sós ou com parceiros, pode trazer uma série de benefícios para a saúde, incluindo a liberação de hormônios que melhoram o humor e a ligação com o parceiro sexual.

Com a idade, a vida sexual vai mudando. Em outras palavras, basta observar que as relações sexuais que você tem hoje em dia são totalmente diferentes das vivenciadas na adolescência e próximo dos 20 anos, certo? E as experiências futuras também serão diferentes das atuais. Isso vai se transformando de acordo com papéis sociais, níveis de estresse, possíveis filhos, emoções e, é claro, mudanças físicas.

Leia também:

Para quem tem uma vulva, ao se aproximar da menopausa, a vagina realmente diminui e se torna mais estreita. As paredes vaginais ficam um pouco mais finas e a lubrificação diminui. Já para quem tem um pênis, as chances de ter disfunção erétil aumentam com a idade, e o pênis pode ficar mais mole. Quer dizer então que, quando envelhecemos, não temos mais aptidão para o sexo? De jeito nenhum. Na verdade, muitas pessoas afirmam que o sexo melhora com a idade.

(Chantelle Otten está aqui para dar aos leitores do Yahoo Lifestyle informações sobre tudo o que tem a ver com sua vida amorosa. Foto: Reprodução)
(Chantelle Otten está aqui para dar aos leitores do Yahoo Lifestyle informações sobre tudo o que tem a ver com sua vida amorosa. Foto: Reprodução)

Para quem está na casa dos 20

Os 20 anos são uma idade voltada à experimentação sexual. Nesse período com mais acesso a uma educação sexual sem preconceitos, é possível tomar decisões independentes sobre como conduzir a própria vida sexual. A pessoa pode aprender com o autoprazer e as fantasias sexuais e tem a oportunidade de experimentar o sexo com diferentes parceiros de forma segura.

Esse período também traz oportunidades de experimentar o sexo com foco no prazer, em oposição ao sexo voltado a um propósito. O que isso significa? Basicamente, o sexo voltado a um propósito é orientado por um objetivo, por exemplo, ter um orgasmo, uma penetração ou um filho. Eu gosto de ensinar as pessoas sobre a educação sexual voltada ao prazer porque, realmente, o tempo da vida delas dedicado ao sexo com propósito é curto. Sendo assim, é útil aprender sobre a educação voltada ao prazer desde cedo, para que essas habilidades possam ser aproveitadas nos anos seguintes.

Happy young man and woman splashing drink and dancing on street at night
Chantelle Otten revela como fazer o melhor sexo em qualquer idade. (Foto: Getty Imagens)

Muito se aprende sobre orgasmos, controle, consentimento e orientação sexual na casa dos 20 (e posteriormente), mas lembre-se de que nunca é tarde para aprender mais sobre a própria sexualidade. Acredito que seja um ótimo período de crescimento e de compreensão sobre o que cada um gosta e não gosta de fazer na cama. Para muitos, também é um momento de viajar para diversos países (depois da vacina, claro!) e aprender sobre a paixão em diferentes culturas e com diferentes parceiros.

A época dos 20 anos é também um ótimo momento para resolver qualquer desafio ligado à sexualidade, como dores nas relações sexuais, o que pode ser um caso de vaginismo, ou ejaculação precoce.

Para quem está na casa dos 30

Na casa dos 30 anos, normalmente a vida sexual — e a vida em geral — começam a ser transformadas por novas prioridades, como carreira, família e gravidez. Nessa época, é importante priorizar a vida sexual e reservar momentos para ela. Isso porque ela pode ficar em segundo plano, enquanto deveria receber atenção prioritária, uma vez que a vida é curta. Sexo é bom e saudável, além de fortalecer a conexão entre os parceiros. O sexo é vital para manter a intimidade e, aos trinta anos, pode ser menos "espontâneo", mais "responsivo". O desejo sexual responsivo é aquele que se manifesta em resposta à estimulação, ou seja, alguma coisa sensual acontece e o corpo responde. Então, ao planejar uma noite de sexo com um parceiro e um pedir para que o outro acaricie a parte interna de suas coxas, o corpo pode reagir expressando: "Uau, isso é bom, vamos continuar!".

Happy black couple tasting with wine while having Thanksgiving lunch at dining table.
Chantelle Otten revela como fazer o melhor sexo em qualquer idade. (Foto: Getty Imagens)

Também é interessante que, solteiras ou acompanhadas, as pessoas são um pouco mais bem resolvidas com os próprios corpos nessa época da vida. Há mais amor-próprio e domínio sobre a beleza do corpo, com mais ênfase na atenção erótica dada a todo o mapa corporal em vez de somente aos órgãos genitais. Isso significa estar aberto a pelos corporais, beijar a celulite das coxas, aceitar as imperfeições da pele e aprender mais sobre zonas erógenas que não se resumam aos seios, à vulva e ao pênis.

Esse também é um ótimo momento para conhecer as linguagens do amor, com ênfase em como demonstrar para pessoas especiais que elas são amadas da forma como querem ser amadas, não como o outro deseja expressar esse amor em uma relação.

 As cinco categorias incluem:

  • Palavras de afirmação;

  • Atos de serviço;

  • Presentes;

  • Tempo de qualidade;

  • Toque físico

Apesar de todas essas linguagens serem importantes, as pessoas normalmente dão mais valor a uma ou duas delas. Uma boa ideia é fazer um teste das linguagens do amor com parceiros amorosos (ou sozinho) para entender as necessidades de cada um no amor e na intimidade.

Seria negligente não mencionar uma parte muito importante dos 30 anos. Para quem toma essa decisão, a gravidez e o parto são momentos de transformação da sexualidade. No que diz respeito à vida sexual, a gravidez, o parto e a criação dos filhos podem exercer uma enorme influência, assim como a exaustão. A atenção erótica geralmente é voltada para o outro, então, é importante tentar reservar algum tempo para o autoprazer ou para algumas "rapidinhas" com o parceiro.

Para quem está na casa dos 40

Nessa idade, é possível que os filhos ainda sejam pequenos, gerando algumas dificuldades com a privacidade. Apesar disso, as pessoas na faixa dos 40 anos tendem a ter mais confiança sexual por já conhecerem bem seus próprios corpos e preferências. Além do mais, aos 40, as pessoas tendem a saber o que querem e como pedir isso.

Cross-legged young european  couple practice yoga on beach in morning
Chantelle Otten revela como fazer o melhor sexo em qualquer idade. (Foto: Getty Imagens)

Esse é um ótimo momento de reavaliação do eu sexual. Você gosta do que está fazendo na cama? Você precisa testar novas atividades e intensidades? Você tem energia emocional e física para dar um novo foco às técnicas de autoprazer e ter mais excitação? Isso inclui novos brinquedos, fantasias e, quem sabe, mais parceiros sexuais, no caso de relações não monogâmicas.

A minha sugestão é que os 40 anos sejam dedicados à renovação da vida sexual e à exploração das opções do erotismo para apimentá-la.

Nos últimos anos da faixa dos 40, podem surgir desafios ligados à perimenopausa ou à capacidade de manter a ereção, mas é possível lidar com tudo isso contando com uma equipe de médicos especializados, endocrinologistas e sexólogos.

Para quem está na casa dos 50

Happiness of two senior people in empty room playing like children in relocation happy for new beginning like retired with moving boxes on the floor
Chantelle Otten revela como fazer o melhor sexo em qualquer idade. (Foto: Getty Imagens)

Ao alcançar os 50 anos, as pessoas que têm ovários podem enfrentar novos desafios com a menopausa. Normalmente, ela ocorre entre os 45 e 55 anos e pode gerar uma queda nos níveis de estrogênio e progesterona, causando ondas de calor, dificuldades para dormir e secura vaginal. Todos esses fatores podem impactar a sexualidade.

Esses desafios podem ser enfrentados com terapias de reposição hormonal para quem quiser e puder realizá-las. Terapias alternativas e bons lubrificantes também podem ajudar.

Aqueles que têm um pênis podem começar a senti-lo um pouco mais mole aos 50 anos, o que também pode ser tratado com auxílio de medicação.

No entanto, nesse período, as práticas sexuais sem penetração tornam-se mais importantes, com um direcionamento do eros à criatividade sexual. Há uma adaptação e uma acomodação entre parceiros, saúde física, saúde mental e vários outros efeitos. As pessoas nessa fase podem dedicar mais tempo para explorar com calma o sexo direcionado ao prazer sem medo de engravidar. Mas as DSTs ainda são predominantes, portanto, segurança em primeiro lugar.

Dos 60 em diante

A portrait of an elderly couple at a family barbecue smiling.
Chantelle Otten revela como fazer o melhor sexo em qualquer idade. (Foto: Getty Imagens)

Esse é um tempo de prazer, em que as pessoas fazem sexo por diversão, proximidade e experimentação. Assista a filmes pornô, fique nu, trabalhe a intimidade e comunique-se sobre o que você gosta e não gosta. Eu tenho vários pacientes entre 80 e 90 anos que estão ainda se divertindo bastante sexualmente. As pressões relacionadas à imagem corporal tendem a diminuir e muitos só querem rir um pouco e ficar juntos nus. É uma fase muito bonita.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos