Sertanejos que apoiaram Bolsonaro ficam em silêncio após vitória de Lula

***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 17.10.2022 - O presidente Jair Bolsonaro (PL), ao lado dos cantores sertanejos Gusttavo Lima e Leonardo. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 17.10.2022 - O presidente Jair Bolsonaro (PL), ao lado dos cantores sertanejos Gusttavo Lima e Leonardo. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Os cantores sertanejos que declararam apoio a Jair Bolsonaro, do Partido Liberal, não se manifestaram após a derrota do atual presidente nas urnas, no último domingo (2). A postura dos artistas segue a do próprio Bolsonaro, que também não havia falado sobre o pleito até a tarde desta segunda (31).

Nomes como Gusttavo Lima, Leonardo, Zezé Di Camargo e Chitãozinho, que se reuniram com Bolsonaro no Palácio da Alvorada para declarar apoio, seguem em silêncio sobre a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT). Lima e Leonardo até publicaram imagens suas nas urnas, durante a votação, mas nada sobre o resultado.

Chitãozinho até chegou a compartilhar uma mensagem no Instagram, mas apenas desejando uma boa semana a seus seguidores. "O artista vai onde o povo está", escreveu a dupla de Xororó

Quem falou foi o cantor sertanejo Zé Neto, da dupla com Cristiano. Este ano, ele foi um dos personagens centrais do que ficou conhecido como "CPI do sertanejo", em que o Ministério Público questionou o pagamento de altos cachês a artistas sertanejos por prefeituras de cidades com poucos milhares de habitantes. As investigações ganharam corpo depois de o cantor criticar uma tatuagem íntima de Anitta e dizer que não precisa da Lei Rouanet.

No Instagram, ele falou sobre o resultado da eleição. "Sei que tem muita gente triste. Eu também não estou dos mais felizes, porque infelizmente o presidente que a gente apoiava e que a gente acreditava que seria o melhor para o Brasil perdeu", disse Zé Neto.

"E o Lula, mais uma vez, tá aí de novo. Agora, não adianta a gente chorar, porque vivemos num país democrático. Então vamos respeitar a democracia, rezar pra Deus olhar por nós. Tomara que o Lula faça um bom governo, que não faça como fez nos mandatos anteriores."

Fora do campo sertanejo, outro apoiador de Bolsonaro que se manifestou foi o cantor Latino, que publicou imagens de cunho religioso, citou passagens da Bíblia e criticou o presidente eleito. "Assistindo ao Lula na TV é como assistir a um déjà-vu do fracasso. Que Deus tenha piedade dos desinformados."

Entre os roqueiros, foi Roger Moreira, vocalista do Ultraje a Rigor, quem mais falou sobre a eleição. Ele fez ou compartilhou dezenas de postagens no Twitter, incluindo algumas em que questiona a idoneidade do próprio pleito.

"Pô, as pessoas não se lembram de apenas seis anos atrás, a luta que foi para tirar o PT do poder e colocar o nine [como o cantor se refere a Lula] na cadeia?", ele escreveu. "O país inteiro saindo às ruas? Pra entregar de mão beijada, numa eleição cheia de irregularidades? Tem gente que não aprende nunca. Esse país não tem jeito."