Acabou 'Stranger Things'? Se jogue nas séries coreanas e indianas, você vai amar

Séries Netflix fora do eixo Europa e EUA (Foto: Reprodução/Netflix)

Por Elisa Soupin (@faleparaelisa)

Nem só de ‘Stranger Things’, ‘La Casa de Papel’, ‘House of Cards’ e ‘Black Mirror’ vive a Netflix. Claro que existem séries mega hits que, se você não vir correndo, fica sem assunto. Mas, além dos clássicos dignos de maratona, o catálogo da plataforma de streaming tem muitos títulos interessantíssimos fora do eixo Europa/Estados Unidos.

Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Segue a gente!

Que tal dar uma chance para outro tipo de narrativa e ouvir outros idiomas, em outros cenários? Yahoo selecionou séries de várias partes do mundo para indicar.

Leia também

Vale lembrar que a África ainda não está na lista -- por incrível que pareça, ainda não há nenhuma série do continente entre as opções disponíveis -- mas a Netflix já anunciou que em 2020 contará com a primeira série sul-africana, que se chamará ‘Queen Sono’.

Millenials

Foto: Divulgação

Como o nome sugere, a comédia argentina retrata a vida de um grupo de millenials com todas as referências possíveis -- eles têm startups, trabalham em co-works, e criam apps -- e as questões dessa geração de jovens adultos, em que relacionamentos, trabalho e amizades são mediadas pela tecnologia. As cenas de sexo dos hermanos são quentes. Uma temporada com 24 episódios entre 30 e 40 minutos.

Romance is a bonus book

Foto: divulgação

Essa série fofíssima é uma das inúmeras opções sul-coreanas disponíveis no serviço de streaming. Ela conta a história de Dani, interpretada por Lee Na-Young, uma mulher de quase quarenta anos, que se divorcia e se vê envolvida com um homem mais novo, Eunho (Lee Jong-suk). É interessante perceber na narrativa como o divórcio pode ser um tabu imenso naquele país. Prepare-se para babar pela pele perfeita das coreanas. Uma temporada com 16 episódios de uma hora.

La casa de las flores

Foto: Divulgação

A trama mexicana é um prato transbordando para quem curte um novelão estilo ‘Usurpadora’ e fez um super sucesso no país de origem. Em 13 episódios de meia hora, ideal para maratonar, a história de uma família (apenas) aparentemente perfeita vai ganhando mais e mais camadas depois que a amante de anos do patriarca morre. Um dos pontos altos é a boa abordagem de temas delicados como homossexualidade, transexualidade, suicídio e machismo. A segunda temporada está confirmada.

Bangkok love stories

Foto: Divulgação

Essa dica vale por várias. Ambientadas na Tailândia, se trata de uma coletânea de quatro séries diferentes, todas com histórias de amor. que podem pender mais para o drama, humor ou suspense. Cada uma se passa em um distrito (espécie de bairro) em Bangkok, a capital efervescente do país. A primeira se chama "Ela e as outras", sobre um técnico de computador que se apaixona por uma grafiteira com distúrbio de personalidade. A segunda se chama "Súplica", em que uma especialista em marketing digital se apaixona por um vidente cego. A terceira -- e muito doida -- se chama 'Inocência", em que diversas histórias de adolescentes e jovens adultos se cruzam. Já a última se chama "Hey You" e trata de um casal que acaba tendo problemas quando um deles abre um bistrô perto do restaurante famoso do ex. Todas têm apenas uma temporada que contam, cada uma, com 13 episódios de mais ou menos 40 minutos.

Coisas da Vida

Foto: Reprodução/Netflix

Episódios curtinhos, de vinte e poucos minutos, abordam a relação de Kavya (Mithila Palkar) e Druv (Dhruv Sehgal), um casal jovem que vive em Mumbai, na Índia. A vida cotidiana, com desentendimentos, momentos românticos, dúvidas acadêmicas e incertezas profissionais estão no centro da trama, que aborda as delícias e dores do amor. São duas temporadas com treze episódios no total, um convite ao binge watch.

Crimes em Déli

Foto: Reprodução/netflix

Para quem gosta de séries policiais, a dica é ‘Crimes em Deli’, também na Índia, que conta a história da investigadora que atuou em um crime real, que chocou o mundo, quando, em 2012, uma mulher foi morta depois de um estupro coletivo brutal em um ônibus. Única e intensa temporada com sete episódios entre 40 minutos e uma hora.

Please like me

Foto: Divulgação

Sabe aquele tipo de série que parece simples, mas com os capítulos vai se mostrando super densa? É o caso da australiana ‘Please like me’, que, de maneira bem-humorada, acompanha a descoberta da homossexualidade por um jovem. Ao longo dos episódios, a série vai ganhando carga dramática, sem perder o tom cômico. Relações não-monogâmicas, homofobia, depressão, bipolaridade, suicídio, racismo, aborto, câncer e HIV são temas discutidos ao longo das quatro temporadas, que tem entre seis e dez episódios, sempre com 25 minutos.

Justiça

Foto: Divulgação/Netflix

A série criminal dos Emirados Árabes conta a história da advogada Farah (Fatima Al Taei), que, embora tenha um pai advogado, quer construir um caminho independente para a própria carreira. Para nós, poucos acostumados com os figurinos, é um exercício interessante observar o estilo das personagens, mesmo de burca e hijab (aquele pano que cobre a cabeça). As makes impecáveis também chamam atenção nesse drama de tribunais. Uma temporada com 18 episódios entre 30 e 50 minutos, em média.