Segurança de Harry e Meghan custa R$ 45.000 por dia

A segurança de Harry e Meghan custa 7.000 libras por dia. (Getty Images)

O príncipe Harry e Meghan Markle estão gastando £7.000 (R$45.000) por dia com segurança pessoal enquanto ficam em Los Angeles. Sim, você leu isso direito. A decisão de renunciar como realeza sênior causou uma dor de cabeça na segurança internacional, não sendo claro quem pagaria a altíssima conta para protegê-los.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

O casal real vive na cidade da Califórnia, onde chegaram pouco antes da fronteira entre o Canadá e os EUA fechar para diminuir a propagação do coronavírus e, segundo os relatórios mais recentes, usam uma empresa chamada Gavin de Becker and Associates para proteção, que pode cobrar até £7.000 por dia em segurança.

Leia também

A empresa já cuidou de pessoas como o fundador da Amazon, Jeff Bezos, e de artistas como Madonna, Cher e John Travolta. Além disso, Oprah é fã da companhia, já tendo convidado o especialista e autor para seu programa para falar sobre como quebrar o ciclo de relacionamentos abusivos.

Além de proteger as estrelas, ele também é amigo delas. Gavin fez uma homenagem no funeral de Carrie Fisher, dizendo: "Ao conhecê-la, Carrie Fisher, todos nós ganhamos na loteria".

A decisão de renunciar causou dor de cabeça sobre a segurança do casal. (Getty Images)

Enquanto Harry e Meghan moravam no Canadá, onde ficaram entre novembro de 2019 e março de 2020, eles foram protegidos pela Real Polícia Montada do Canadá, por causa de seu status de realeza sênior. Mas o Canadá confirmou que não estariam dispostos a continuar pagando.

Em sua declaração Harry e Meghan insistiram que precisariam de um alto nível de segurança em grande parte porque são da realeza, mas também por causa do antigo emprego de Harry no exército britânico.

No entanto, quem pagaria por isso, tem sido a fonte de discórdia. Os EUA não têm obrigação de pagar pela segurança do casal, porque não é um país da Comunidade das Nações, que tem a rainha como chefe de estado.

Donald Trump deixou claro que os EUA não pagariam por isso – sendo que após a declaração, o casal respondeu esclarecendo que não teria feito tal pedido. Parece que o casal talvez vai acabar precisando da ajuda do pai de Harry, o príncipe Charles, para intervir e pagar a conta.

Rebecca Taylor