Segundo turno em Goiânia: Internado com Covid-19, candidato é acusado de mentir sobre estado de saúde

·4 minuto de leitura
Reprodução/Facebook
Maguito Vilela está internado com Covid-19 (Foto: Reprodução/Facebook)

Vanderlan Cardoso (PSD) questionou a condição médica de seu rival no segundo turno da eleição à prefeitura de Goiânia, Maguito Vilela (MDB), internado com Covid-19. O candidato do PSD sugeriu que o real estado do adversário é pior do que o divulgado e criticou a atuação da equipe de Vilela nos últimos dias.

“Estão tentando passar que ele está melhorando, e a gente sabe que a situação é complicada. Veja bem, no próprio domingo que ele voltou a ser entubado de manhã, por volta de 10 da manhã, o seu filho, Daniel Vilela, estava dando entrevista dizendo que ele estava bem”, declarou à Rádio Sagres. “Até quando, meu Deus do céu, (a equipe de Vilela) vai levar essa farsa com relação à saúde dele?”.

Maguito Vilela foi diagnosticado com o novo coronavírus no fim de outubro e precisou ser intubado em duas oportunidades. O mais recente boletim médico divulgado pelo Hospital Albert Einstein, em São Paulo, informou na última terça-feira que o político apresentou uma piora pulmonar e “iniciou tratamento dialítico, seguido de instalação de ECMO para possibilitar ventilação protetora pulmonar”.

Leia também

“Vem essa lorota toda, essa conversa estranha de que está bem, mas ele teve que ser intubado de novo. Nós estamos vivendo em Goiás um estelionato eleitoral, estão ludibriando o eleitor, levando para uma comoção, uma pessoa que está lutando pela vida. Quem está coordenando toda essa tramoia é o seu filho (Daniel Vilela), que todo mundo sabe que quer assumir o protagonismo”, disse Vanderlan.

A campanha de Vilela respondeu aos ataques do adversário em nota de repúdio assinada pelo presidente do MDB em Goiás, Daniel Vilela. Nela, se disse “perplexa” e “indignada” com as acusações e criticou o comportamento “covarde e desumano” de Vanderlan. “O candidato comprova seu desespero e incapacidade de promover um debate de qualidade sobre nossa cidade”, afirmou.

Eleições em Goiânia

Com praticamente um milhão de eleitores em seu colégio eleitoral, Goiânia é uma das capitais que escolherá prefeito em segundo turno. Disputam Maguito Vilela (MDB) e Vanderlan Cardoso (PSD).

Maguito é figura conhecida da política de Goiás. Ele, que teve 36.02% dos votos válidos, já foi eleito vereador, deputado estadual e federal, vice-governador, governador, senador e prefeito de Aparecida de Goiânia.

O adversário, Cardoso, atingiu 24.67% dos votos válidos para chegar ao segundo turno. Ele foi prefeito de Senador Canedo, na Região Metropolitana de Goiânia, por dois mandatos, entre 2005 e 2010. Eleito senador nas últimas eleições, o político pode exercer o mandato de parlamentar até 2026. Ele já disputou — e perdeu — a prefeitura de Goiás em 2016.

Entenda o segundo turno

Para assumir a prefeitura no 1º turno, o candidato precisaria obter maioria absoluta - 50% mais um - dos votos válidos. Votos brancos e nulos não entram nessa conta.

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) esclarece que essa condição da existência do 2º turno é válida somente às cidades com mais de 200 mil eleitores.

Essa regra está prevista nos artigos 28 e 29 da Constituição de 1988, determinando, além do limite mínimo de habitantes, que o “segundo turno poderá ocorrer apenas nas eleições para presidente e vice-presidente da República, governadores e vice-governadores dos estados e do Distrito Federal, e para prefeitos e vice-prefeitos.”

Nas eleições de 2016 havia 92 municípios com mais de 200 mil eleitores. Já em 2020, outras três cidades alcançaram o número de habitantes mínimo. São elas: Ribeirão das Neves (MG), Paulista (PE) e Petrolina (PE). Sendo assim, nas eleições 2020, 95 municípios poderão ter um segundo turno para prefeito e vice-prefeito.

Eleições municipais em todo país

As Eleições 2020 moveram praticamente todo país neste domingo. Por conta do coronavírus, essa foi uma eleição diferente, com horários estendidos e mais critérios de segurança sanitária.

Uma questão que levanta muitas dúvidas ao longo processo é o famoso coeficiente eleitoral. Bem resumidamente, é a divisão do número de eleitores pelo número de vagas (nós explicamos com detalhes AQUI). Cada cidade, então, tem seu coeficiente eleitoral.

Caso não esteja presente na cidade onde você está apto para votar, é possível justificar seu voto. Para saber como, siga nosso guia clicando AQUI.

O que faz um prefeito?

O Estado se divide em três poderes o Executivo, Legislativo e Judiciário, e o prefeito é o chefe do Poder Executivo. Ou seja, é responsabilidade do prefeito administrar a cidade que exerce suas funções. Para mais detalhes da função CLIQUE AQUI e para saber quanto ganha um prefeito, CLIQUE AQUI.