Segundo turno em Fortaleza: Sarto (PDT) recebe apoio do PT

Ana Paula Ramos
·2 minuto de leitura
Governador do Ceará, Camilo Santana (PT), e José Sarto (PDT), candidato à prefeitura de Fortaleza (Foto: Reprodução)
Governador do Ceará, Camilo Santana (PT), e José Sarto (PDT), candidato à prefeitura de Fortaleza (Foto: Reprodução)

José Sarto, candidato do PDT à Prefeitura de Fortaleza, terá o apoio do PT na disputa pelo segundo turno contra Capitão Wagner (PROS). O partido aprovou decisão, por unanimidade, nesta terça-feira (17). De acordo com a executiva municipal petista, o objetivo é “derrotar a proposta fascista” para Fortaleza.

"Acima de tudo, o PT tem a responsabilidade política de combater o projeto fascista de Bolsonaro e seus retrocessos para a classe trabalhadora. Não nos omitiremos dessa tarefa", afirma em nota o partido.

Leia também

A candidata petista à prefeitura, Luizianne Lins, teve 17,7% dos votos válidos e ficou em terceiro lugar na disputa.

“Esse capital político (da Luizianne) é que vai decidir essas eleições e derrotar o fascismo expresso pela candidatura do Wagner no segundo turno", afirmou Guilherme Sampaio, presidente da sigla na capital.

A ex-prefeita não participou da entrevista coletiva realizada nesta terça pelo PT para anunciar o apoio a Sarto. Durante a campanha, ela se irritou com o candidato do PDT que exibiu no horário eleitoral pesquisa de 2010 do Datafolha que colocava Luizianne como a pior prefeita na época entre oito capitais.

“Tenho maior respeito pela candidata. Luizianne é uma pessoa séria", disse Sarto, que teve 35,7% dos votos em Fortaleza, no último domingo.

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), já havia declarado apoio a Sarto no segundo turno.

“Nós não podemos admitir que a política que fortalece e que explora a violência, unicamente com objetivos pessoais, possa se sobressair neste segundo turno”, afirmou Camilo Santana.

Sarto conta também com apoio dos irmãos Ciro e Cid Gomes, ambos do PDT.

Seu adversário no segundo turno será Capitão Wagner (PROS), que teve 33,3% dos votos e recebeu apoio do presidente Jair Bolsonaro. Ele é apontado como uma das lideranças do motim da Polícia Militar do Ceará neste ano.