Segundo look de Janja na posse de Lula tem cor do feminismo, diz estilista

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Poucas foram as primeiras-damas que tiveram seus looks tão comentados durante a posse de um presidente como Rosângela Lula da Silva, a Janja, mulher de Luiz Inácio Lula da Silva, que desfilou moda autoral brasileira neste domingo (1º), quando o petista assumiu a presidência pela terceira vez.

Depois de surpreender ao subir a rampa do Palácio do Planalto vestindo um conjunto em tom dourado de Helô Rocha e não um vestido ou saia, Janja foi à uma recepção no Itamaraty com o segundo look do dia, desenvolvido exclusivamente para ela pela marca paulistana Neriage. Trata-se de de um conjunto em crepe de saia e body plissados com uma capa também plissada de mangas retorcidas, tudo em tom lilás-azulado.

O look, costurado à mão, foi criado sobretudo pela estilista Rafaella Caniello, nome forte da nova geração da moda nacional com sua marca.

Caniello é conhecida por seus plissados com modelagem fluida. A designer veterana Helô Rocha ajudou no desenvolvimento das mangas retorcidas, selando um processo colaborativo entre duas gerações diferentes de estilistas.

Foi a própria Janja que escolheu o roxo para o vestuário, afirma Caniello, por telefone, para "representar a força feminina".

A cor é associada ao movimento feminista e à luta das mulheres por igualdade e direitos, e foi também usada pela vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, quando o democrata Joe Biden tomou posse como presidente, em janeiro de 2021.

No Brasil, Janja demonstra interesse pelos detalhes de cada look e pela cadeia de produção completa das peças que veste. Segundo Caniello, a primeira-dama é aberta em relação ao trabalho e estilo dos designers envolvidos em seu vestuário e costuma visitar os ateliês das estilistas.

Quando foi aos espaços onde Caniello e Rocha fazem suas criações, Janja tirou fotos com as costureiras e se atentou a confecção das roupas. "Quando você pode imaginar uma primeira-dama fazendo isso?", diz Caniello.

Sem definir o estilo da mulher de Lula, a designer reitera a importância de uma figura com a visibilidade e o poder de Janja dar tanta atenção à moda brasileira.

Além das grifes que usou na posse, Janja deu uma entrevista recente para a TV vestindo uma camisa de mangas longas da Misci, de Airon Martin, e costuma passear pela Mateus Grou, em São Paulo, segundo relatos de estilistas, uma rua que concentra lojas de nomes de destaque na moda autoral e no design de acessórios.

O dourado e o roxo usados na posse fogem das apostas óbvias para a ocasião, caso do vermelho, cor do PT de Lula. Mas a primeira-dama não deixou de acenar ao partido com acessórios, caso do sapato carmim que usou na recepção do Itamaraty, da designer Juliana Bicudo, que carregava uma estrela na sola.

Em seu casamento com Lula, em maio de 2022, Janja também incluiu uma estrela vermelha entre os bordados do seu vestido de noiva.