Segundo estudo, tipos de álcool determinam se o efeito será de alegria ou choro

Reprodução/Pixabay PublicDomainPictures

Enquanto a bebida para alguns é sinônimo de alegria e animação, para outros ela pode levar direto para o fundo do poço com direito a chororô. Segundo pesquisadores, as emoções que sentimos sob efeito do álcool pode estar ligada à nossas escolhas.

Leia mais: Estudo sugere que a cerveja é um analgésico mais eficaz que o paracetamol

O estudo publicado no periódico BMJ Open afirma que destilados, por exemplo, estão mais ligados a sentimentos como energia, confiança e sensualidae, mas também pode gerar raiva e choradeira. Já o vinho tinto está relacionado ao relaxamento, mas também ao cansaço.

Os pesquisadores afirmam que os motivos para a ligação entre o tipo de bebida e sentimento podem ser muito complexos, mas que esperam que as pessoas pensem bem sobre o que consumir antes de se embebedar.

“Do ponto de vista da saúde pública, muitas vezes nos concentramos em questões relacionadas ao câncer, doença cardíaca e doença do fígado. Mas um aspecto importante é o equilíbrio dos resultados emocionais que as pessoas vivenciam sob o efeito do álcool”, disse Mark Bellis, co-autor da pesquisa.

Leia mais: Segundo estudo, beber álcool melhora a memória

Ao todo foram 30 mil participantes que responderam perguntas sobre álcool e drogas, revelando que certas bebidas estavam ligadas a emoções particulares. Quase 53% disseram que vinho tinto os faz se sentirem relaxados, sentimento também relacionado à cerveja, com 50%, enquanto o vinho branco teve 33%. O vinho também foi apontado como causador de cansaço por 60% das pessoas.

Já os que consomem destilados associaram este tipo de bebida à confiança, somando 59% dos participantes, energia, por mais de 58% e sensualidade, por 42%. No entanto, os destilados também foram apontados como provocadores de sentimentos negativos como choro. Cerca de 48% dos participantes ligaram a bebida a sensação de mal estar e quase 30% à violência.

Vale lembrar que o estudo teve certas limitações e não analisou a mistura entre álcool e drogas e nem se os participantes misturaram diferentes tipos de bebidas.