Segundo estudo, famílias gastam em torno de 49 minutos por dia brigando

Reprodução/20th Century Fox

Família é nosso porto seguro e o amor que sentimos por eles é incondicional. Mas todas elas sabem que é comum ter algumas brigas e uma pesquisa recente calculou o número exato de discussões que temos com nossos parentes ao longo da vida.

Leia mais: Hotel oferece desconto para famílias que trancarem seus celulares durante a hospedagem

Pais brigam com seus filhos cerca de 2,184 vezes por ano e mais da metade dessas discussões são por causa de comida e bebida. A pesquisa entrevistou 2,000 pais com filhos de idades entre dois e 12 anos e descobriu que muitos argumentam com as crianças sobre o que elas querem fazer, comer ou beber.

Isso leva ao número de seis brigas diárias, 42 por semana e 182 por mês. Algumas razões que ocupam o topo da lista são crianças que não comem toda a comida do prato e que deixam seus quartos desarrumados. Outras razões que geram discussão são as reclamações dos pequenos por estarem com fome, mas recusarem alimentos saudáveis.

Comer doces e chocolate antes das refeições, não respeitar o horário de ir para a cama e tentar fazer os filhos sentarem para fazer o dever de casa são mais motivos listados pela pesquisa, além de uso excessivo de eletrônicos e esforço para fazê-los escovar os dentes.

No entanto, os pais só “ganham” a batalha metade das vezes, já que muitos deles afirmam preferir manter a paz e deixar pra lá. “Muitos pais acreditam que chegar a um acordo com seus filhos é a melhor maneira de manter todos felizes”, diz um porta voz da Capri-Sun, que encomendou a pesquisa.

Leia mais: Jovens gastam cerca de R$ 7 mil anualmente para morar com os pais

Também descobriu-se que cada briga dura cerca de oito minutos e pais e mães passam cerca de 16 minutos diários tentando negociar com seus filhos. Nove em cada dez oferecem alguma recompensa às crianças em troca de fazer o que é pedido.

Passar mais tempo nos eletrônicos ou dinheiro estão entre as chantagens mais oferecidas pelos pais para conseguirem o que querem. E o castigo mais comum aplicado por eles é tirar as telas de gadgets dos pequenos.