Secretário pede que famílias evitem levar filhos para aulas em SP: “Escola está aberta para quem realmente precisa”

Anita Efraim
·2 minuto de leitura
Governor João Doria announces new measures to intensify the fight against the new coronavirus (Covid-19) in the State of São Paulo, this Monday, October 5, 2020 at the Palácio dos Bandeirantes in the neighborhood of Morumbi, south zone of São Paulo, Brazil. In the photo, the Secretary of Education, Rossieli Soares. (Photo: Aloisio Mauricio/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)
Secretário de Educação de São Paulo, Rossieli Soares (Foto: Aloisio Mauricio/Fotoarena/Sipa USA via AP Images)

O secretário de Educação do estado de São Paulo, Rossieli Soares, fez um apelo às famílias paulistas: quem tiver condições, deve manter os filhos em casa. “Escola está aberta para quem realmente precisa”, declarou Rossieli durante a coletiva de imprensa do governo do estado.

As escolas foram incluídas nas atividades essenciais durante a fase vermelha, na qual todo o estado de São Paulo entra no próximo sábado. A medida foi tomada dado o aumento de casos de covid-19 em todo o país.

Leia também

“Ressalto às famílias: se tem condições de fazer a educação mediada por tecnologia, se tem como acompanhar e ajudar seu filho, por favor, faça. Escola está aberta para quem realmente precisa”, afirmou Rossieli.

O secretário afirmou que há expectativa de que, durante a fase vermelha, haja uma queda no número de alunos e de funcionários trabalhando presencialmente. Em fevereiro, as escolas receberam 2,5 milhões de alunos. O governo espera que esse número caia 80% e fique em 500 mil alunos.

Em relação aos funcionários, eram 165 mil trabalhando em fevereiro e esperam que a diminuição seja de 60%, com 50 mil funcionários.

Rossieli não detalhou, no entanto, que medidas serão adotadas para a diminuição na frequência de alunos. Segundo o secretário, os pais devem fazer essa avaliação e a prioridade deve ser dos alunos que não conseguem participar de atividades escolares sozinhos.

As salas de aula só podem receber 35% da capacidade e, pelas regras do estado, é proibido que os alunos tenham interação física.

Em relação ao ensino superior, os cursos com atividades 100% presenciais são medicina, farmácia, enfermagem, fisioterapia, odontologia, fonoaudiologia, terapia ocupacional, nutrição, psicologia, obstetrícia, gerontologia e biomedicina.

Atualmente, a taxa de ocupação de leitos de UTI em São Paulo está em 75,3%, com 7.415 pessoas internadas. Em enfermaria, estão internados outros 8.968 pacientes. Em São Paulo, 2,06 milhões de pessoas já foram infectadas pelo novo coronavírus. O número de mortes já ultrapassou 60,3 mil.