Sean Penn entrega uma de suas estatuetas do Oscar a Volodimir Zelenski

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente da Ucrânia, Volodimir Zelenski, foi pego de surpresa ao ser presenteado pelo ator Sean Penn, 62 , com uma de suas estatuetas do Oscar. Em vídeo, o atro disse que deixaria o troféu com o mandatário até que a Ucrânia vença a guerra contra a Rússia.

"É apenas uma coisa simbólica e boba", diz Penn. "Quando você ganhar, traga de volta para Malibu", completou o ator, vencedor do Oscar por "Sobre Meninos e Lobos" (2003) e por "Milk - A Voz da Igualdade" (2008).

Zelensky deu ao colega a honra de Ordem do Mérito por apoiar o país em sua terceira visita à Ucrânia desde quando a guerra começou. Ele faz um documentário na região.

Os atores e diretores Sean Penn e Ben Stiller, 56, estão entre os 25 "altos funcionários, representantes das comunidades empresariais, especialistas e figuras culturais" banidos da Rússia em setembro pelo Ministério das Relações Exteriores daquele país, segundo o Deadline. A decisão russa ocorre após os atores visitarem a Ucrânia e se encontrarem com o presidente Zelenski em meio a guerra, que começou em fevereiro.

Também na lista estão os senadores Rick Scott, Mark Kelley, Pat Toomey, Kevin Kramer, Krysten Sinema e vários oficiais de comércio dos EUA, incluindo a secretária de Comércio dos EUA, Gina Raimondo. O Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse que a lista é baseada no "princípio da reciprocidade".

"As ações hostis das autoridades americanas, que continuam a seguir um curso russofóbico, destruindo os laços bilaterais e aumentando o confronto entre a Rússia e os Estados Unidos, continuarão sendo rechaçadas resolutamente", disse o Ministério.