SBT se recusa a fazer acordo com Sherazade em processo de R$20 milhões

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Rachel Sheherazade (Reprodução Instagram)
Rachel Sheherazade (Reprodução Instagram)

Resumo da notícia

  • O SBT recusou conciliação na justiça em processo movido por Rachel Sheherazade

  • A jornalista pediu R$20 milhões da emissora

  • O juiz Ronaldo Luís Oliveira tentou que a situação fosse resolvida de forma amigável

O SBT decidiu não aceitar a conciliação da justiça em processo aberto por Rachel Sheherazade, que pede uma indenização de R$20 milhões da emissora.

De acordo com informações do Notícias da TV, o juiz Ronaldo Luís de Oliveira tentou uma conciliação de forma amigável, sem interferências dos tribunais, mas o SBT contestou as acusações da jornalista e rejeitou a tentativa.

Leia também:

Entenda o processo

A jornalista Rachel Sheherazade, 47, demitida no final de 2020 do SBT, iniciou um processo na Justiça no valor de cerca de R$ 20 milhões contra sua antiga emissora. Ela, que foi âncora do principal jornal da casa por quase dez anos, acusa o canal e seu dono, Silvio Santos, de assédio, censura e fraude.

No processo a que o jornal Folha de S.Paulo teve acesso, a defesa de Sheherazade aponta que a sua contratação como PJ (pessoa jurídica) visava fraudar legislação trabalhista, fiscal e previdenciária. Tal prática, ainda segundo ela, visava afastar o registro na carteira de trabalho e o pagamento dos direitos decorrentes do registro.

A ação corre no TRT-2 (Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região), na 3ª Vara do Trabalho de Osasco, na Grande SP. No final de seu contrato, Sheherazade chegava a faturar mais de R$ 200 mil por mês.

O processo inclui ainda um pedido de indenização por assédio e danos morais. A defesa da ex-apresentadora do SBT acusa a emissora de ter diminuído sua participação nos jornais e reduzido a quantidade de matérias onde apareceria, apontando ser consoante com uma prática de censura.

Em uma troca de emails anexada no processo, um dos diretores da emissora diz que os textos que Sheherazade posta nas redes sociais o envergonham e a muitos de seus colegas também.

Uma das atitudes de assédio considerada gravíssima pela defesa da jornalista foi durante a entrega do Troféu Imprensa 2017, onde a apresentadora teria sido tratada de modo "depreciativo, preconceituoso, vexatório, humilhante e constrangedor" pelo dono da emissora, Silvio Santos.

Naquele momento, ela disse que foi contratada para dar sua opinião, ao apresentar o principal jornal do SBT. Silvio Santos rebateu, dizendo que a contratou para "continuar com sua beleza".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos