São Paulo tem 9 regiões com flexibilização nas regras da quarentena e Doria vê 'platô' da Covid-19

João Conrado Kneipp
·5 minuto de leitura
People line up to get their temperature checked before entering a store in downtown amid the new coronavirus pandemic in Rio de Janeiro, Brazil, Monday, June 29, 2020. Rio de Janeiro and Sao Paulo, the states with the highest number of COVID-19 victims and cases, continue to ease measures applied since March and the streets are filling up with people. (AP Photo/Silvia Izquierdo)
Cinco regiões do interior de São Paulo passarão a reabrir o comércio. (Foto: AP Photo/Silvia Izquierdo)

Nove regiões do estado de São Paulo apresentaram melhora nos índices de combate à pandemia do novo coronavírus e avançaram de fase no Plano São Paulo, programa do governo do estado de regras para endurecimento ou flexibilização das medidas restritivas devido ao Covid-19.

Nenhuma região retrocedeu na atualização divulgada nesta sexta-feira (10). Os resultados foram apontados pelo governador João Doria (PSDB) como indícios de uma possível estabilização da doença em São Paulo.

Leia também

No interior de São Paulo, cinco regiões saíram da fase 1 - Vermelha e passaram à fase 2 - Laranja: Presidente Prudente, Marília, Bauru, Sorocaba e Piracicaba. Essas regiões agora poderão abrir setores de como comércios em geral e shoppings centers com restrições de horários e protocolos de saúde. Na fase vermelha, apenas as atividades essenciais eram permitidas.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Três regiões passaram da fase 2 - Laranja para a fase 3 - Amarela, podendo agora abrir bares, restaurantes e salões de beleza: as áreas Oeste (onde estão Osasco e Barueri) e Leste (onde ficam Guarulhos e Mogi das Cruzes) da Região Metropolitana de São Paulo, e a região da Baixada Santista.

Já a região de Registro saltou da fase 1 - Vermelha direto para a fase 3 - Amarela.

A cidade de São Paulo, pela terceira semana seguida - se manteve na fase 3 - Amarela, o que permite a abertura de bares, restaurantes e salões de beleza, além do comércio de rua e shoppings, que já estavam permitidos na fase laranja.

Mantiveram-se na fase vermelha as regiões de Araçatuba, de Franca, de Ribeirão Preto e de Campinas, onde a taxa de ocupação de Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) continua alta.

“Cerca de 50% da população do estado de São Paulo está na fase amarela”, segundo o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, que também afirmou que 83% da população está nas fases amarela e laranja.

Confira as mudanças da atualização passada nesta sexta-feira (10) para as novas fases do Plano São Paulo. (Foto: Reprodução/Yahoo Notícias)
Confira as mudanças da atualização passada nesta sexta-feira (10) para as novas fases do Plano São Paulo. (Foto: Reprodução/Yahoo Notícias)

VEMOS UM PLATÔ DA DOENÇA, DIZ DORIA

O governador também anunciou a quinta prorrogação da quarentena em São Paulo, de que deverá se estender até 30 de julho e anunciou que o estado encontra-se em um platô de estabilidade em relação ao avanço do novo coronavírus.

O governador elencou cinco pontos para justificar a estabilização da doença no estado: redução no número de óbitos semanais; menor letalidade da Covid-19 em SP até agora (4,9%); regressão da doença na capital e na Grande São Paulo; litoral e interior com resultados positivos; e início da seleção dos voluntários, no próximo dia 20, para os testes da 3ª fase da vacina Coronavac, desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac Biotech.

“Estamos ingressando em uma fase de platô no estado de São Paulo. Isso não significa relaxamento, e sim atenção redobrada para mantermos o platô e o controle sob a doença. Relembro que ainda estamos em quarentena e devemos, quem pode, permanecer em casa”, completou Doria.

ENTENDA O PLANO SÃO PAULO

O Plano São Paulo, apresentado dia 27 de maio, é dividido em cinco fases, ou etapas, e cada região do estado será classificada em uma delas. O estado será dividido de acordo com as 17 Diretorias Regionais de Saúde - DRS, além da cidade de São Paulo, que será analisada isoladamente:

  • FASE 1 (VERMELHA) - Alerta Máximo:

Funcionam somente os serviços essenciais, a indústria não essencial e construção civil

  • FASE 2 (LARANJA) - Controle:

Funcionam com restrições os setores de atividades imobiliárias; concessionárias; escritórios; comércios em geral; e shoppings centers

Funcionam sem restrições a indústria não essencial e construção civil

  • FASE 3 (AMARELA) - Flexibilização:

Funcionam com restrições os setores de bares, restaurantes e similares; comércios em geral; shoppings centers; salões de beleza

Funcionam sem restrições setores das atividades imobiliárias; concessionárias; e escritórios

  • FASE 4 (VERDE) - Abertura Parcial:

Funcionam com restrições os setores de bares, restaurantes e similares; comércios em geral; shoppings centers; salões de beleza; e academias

Funcionam sem restrições setores das atividades imobiliárias; concessionárias; e escritórios

  • FASE 5 (AZUL) - Normal Controlado:

Todos os setores funcionam, observando protocolos e determinações que serão especificadas pelo estado;

Liberação dos espaços públicos, e funcionamento de teatros, cinemas e eventos que promovam aglomerações, inclusive os esportivos, só serão autorizados nesta fase

OS CRITÉRIOS DO PLANO SÃO PAULO

O cálculo das fases levará em consideração cinco critérios: dois de Saúde (taxa de ocupação de leitos de UTI por infectados pela Covid-19; e número de leitos de UTI para 100 mil habitantes), e outros três critérios de evolução da pandemia (número de casos, número de internações, e número de óbitos).

De acordo com a equipe de governo, cada região do estado será analisada de maneira isolada e, caso cumpram os critérios necessários, terá sua classificação alterada.

A atualização da situação das regiões será feita semanalmente. No entanto, uma região só poderá evoluir para a próxima fase se mantiver os indicadores estáveis por 14 dias. Casos de evolução excepcionais serão avaliadas a parte pelo governo.